moxabustão

Acupuntura – Técnica por Moxabustão.

Postado em

MOXA1

É uma técnica terapêutica da Medicina Tradicional Chinesa, que se baseia, nos mesmos princípios e conhecimento dos meridianos de energia trabalhados na acupuntura.  A moxabustão trata e previne doenças através de aplicação de calor em pontos do corpo humano, removendo e desobstruindo os bloqueios de energia e restabelecendo o seu fluxo saudável.
A moxa é preparada a partir da Artemísia (Artemísia Vulgaris e Artemísia Sinensis), uma erva perene comum. Suas folhas aromáticas são lavadas, secas, trituradas e peneiradas várias vezes até que fiquem macias e se transformem em uma massa uniforme, semelhante a uma lã vegetal.

Após esse preparo ela pode ser moldada de diversas formas para a sua utilização: solta (lã), prensada (palito), enrolada (bastão),  adesiva (cones),  enrolada fina (cigarro)  resinada (auricular), sem fumaça (com carvão) aromatizada (com carvão). As mais comuns são no formato de bastão e em cone.

SUA ORIGEM E HISTORIA:

dgeh

A  Moxabustão significa literalmente, “longo tempo de aplicação do fogo” e é uma prática originária do norte da China, cerca de 3.500  anos AC. e introduzida no Japão por volta do ano 265 DC., levada  por monges japoneses, que estudaram na China –  e segundo historiadores – teriam sido eles os responsáveis pela introdução da Terapia Tradicional Chinesa no Japão.

Embora tenha sido usada há milênios, foi registrada pela primeira vez em textos médicos durante a dinastia Song ou Sung, que governou os chineses de 960 a 1275 DC. É uma terapia importante na Medicina Tradicional Chinesa: os textos antigos dizem que a moxa deve ser usada se a acupuntura e as ervas não funcionassem na cura da doença.

COMO FUNCIONA:

A combustão da Artemísia tem a propriedade de aquecer profundamente, tornando-a eficaz quando há menos circulação, condições frias e úmidas, além da deficiência do yang. A Artemísia tem o poder de extrair a energia Yang do Yin.  Quando aplicada aos pontos de acupuntura específicos à deficiência de yang, o corpo absorve o calor o máximo possível, recuperando o Qi (energia) do yang do corpo e o “fogo ministerial”, a fonte de todo o calor e energia do corpo.

Para isso, basta acender a ponta do bastão ou cone de Moxa e mantê-lo cerca de um centímetro ¬¬da superfície da pele, porém a distância varia de acordo com a tolerância do paciente e da quantidade de estímulo térmico que se deseja.

Normalmente o bastão (ou o cone) é queimado alguns segundos em cada ponto de Acupuntura até a pele ficar avermelhada e o local aquecido. O calor do bastão de moxa também pode ser conduzido através da agulha de acupuntura, por aproximação da pele. Esse processo é tido como moxa indireta: implica em enrolá-la, colocá-la na ponta de uma agulha de acupuntura enquanto ela está no corpo, e acendê-la.

O calor da moxa percorre o cabinho e a agulha e esta transfere o calor especificamente ao ponto desejado no corpo. A moxabustão pode ser utilizada sozinha ou associada às práticas de acupuntura tradicional e ventosa terapia.

Moxibustion
MOXABUSTÃO INDIRETA

Com Gengibre:

Corte um pedaço de gengibre de cerca de 3 a 5 mm e fure-o em cinco pontos, como o cinco de um dado. Coloque o cone de moxa sobre a rodela de gengibre e, em seguida, sobre o ponto que se quer tratar. Acenda o cone usando um fósforo. Quando o paciente começar a sentir ardência, retire a rodela de cima da pele e mantenha suspensa (presa pela mão) sobre o mesmo ponto até que a sensação de aquecimento suavize.

Recoloque então o gengibre sobre o ponto. Repita o processo até que o ponto fique bastante vermelho, quente e úmido. Usamos de 5 a 7 cones em cada tratamento, que pode ser repetido em dias alternados. Este método é mais indicado para vômitos, diarreias, artrites e também pode ser usado para quaisquer outras doenças que respondam bem ao método de moxabustão.

Com Alho:

O procedimento é o mesmo que o método com o gengibre, só que em vez dele, usamos o Alho. É contraindicado em pacientes com febre. É usado principalmente nos casos de Tuberculose Pulmonar e Linfática e no primeiro estágio dos abscessos.

Com Sal:

Encha o umbigo com sal até o nível da pele. Coloque o cone de moxa sobre o sal e acenda-o. Usado em casos de emergência, coma, vômitos, apoplexia do tipo flácido, diarreias, fraqueza, energia baixa etc. Com uma palheta ou colherinha controle o aquecimento do ponto para não queimar o paciente.

Com cebolas:

Dispor sobre o abdômen ao redor do umbigo, fatias de cebola branca e por cima, colocar cones grandes. Queimas simultânea ou sucessivamente. Usado para casos de colapso, flatulência, dores abdominais do tipo frio, anúria, retenção urinária.
INDICAÇOES:

• A moxabustão é tida como Yang puro, por isso serve para fortificar o Yang enfraquecido do paciente.

• Regula o Qi e o sangue.

• Auxilia na anemia, stress, cansaço físico e mental.

• Abrem os doze canais (meridianos) principais de energia.

• Fortifica na convalescência, nas fraquezas (fadiga) crônicas, por obstrução do Frio e Umidade;

• Expele o frio e a umidade, colaborando nas afecções pelo Frio, as desordens do Yin.

• Minimiza os desconfortos da velhice e propicia uma longevidade saudável.

• Dispersa a energia perversa.

• Aumenta a energia defensiva.

• Realinha desordens ginecológicas e distúrbios sexuais.

• É eficaz no combate das doenças respiratórias como asma e bronquite, além de alergias.

• Também nos distúrbios digestivos como dores abdominais, indigestão, diarreia, náuseas, vômito.

• Cauteriza verrugas.

• Auxilia no alívio das doenças osteoarticulares, artrite, problemas da coluna.

• Aplicada em situações onde não é possível a utilização de agulhas.

CONTRA INDICAÇOES:

• Em tratamento de doenças com quadro febril.

• Lesões traumáticas na pele.

• Em casos de problemas psíquicos.

• Em áreas próximas aos genitais, mamilos, couro cabeludo e rosto.

• Em crianças, sua aplicação deve ser avaliada com cuidado pelo profissional.

• Idosos muito combalidos.

Fonte: Mao-Liang, Qiu (Org). Acupuntura chinesa e moxabustão. SP, roca, 2001