energia

Toda sua dor está na ponta do seus dedos, pressione estes pontos para se sentir melhor

Postado em

Quando sentimos dores, costumamos tomar remédios, não é verdade?

Mas a verdade é que esses analgésicos são cheios de substâncias químicas prejudiciais à saúde.

dores nos dedos

Por isso resolvemos mostrar um truque maravilhoso para acabar com dores no corpo.

E tudo o que você precisa é pressionar alguns pontos específicos das mãos.

O que acontece é que nossas mãos têm pontos de energia capazes de influenciar várias partes do nosso corpo.

E os chineses e outros povos orientais já sabem disso há milhares de anos. Veja a imagem abaixo e saiba quais dores podemos curar a partir de cada ponto energético:

1A – Dores hepáticas e problemas no estômago

1B – Constipação, má digestão e diarreia

1C- Dores nos rins, útero e vagina

2A – Dor na coxa

2B – Dor no joelho

2C – Dor nas pernas

2D – Planta do pé

6A – Dor na mandíbula

6B – Dor de garganta

6C – Dor nas costas

6D – Dor lombar

7A – Dor no pescoço (como torcicolo) e dor no ovário

8A – Dor nos dentes, inflamação na gengiva

8B – Dor nas extremidades superiores do corpo

8C- Dor nas extremidades superiores do corpo

9X – Dor de cabeça, faringite, refluxo

Sempre que sentir alguma dor, procure pressionar o ponto que se relaciona com ela por 1 a 3 minutos.

No caso dos pontos 1A, 1B e 1C, procure pressioná-los 3 vezes por semana, durante 5 minutos em cada sessão.

Fazendo isso, vai melhorar a saúde do seu organismo como um todo.

Esclarecimento: Este blog tem a finalidade de ajudar, mas não substitui o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.

Anúncios

Medicina Tradicional Chinesa – Stress

Postado em

capa-coqueiro--no-stress-0437O ritmo agitado, principalmente da vida citadina, condiciona-nos por vezes a seguir condutas que desgastam as nossas energias além dos seus limites e, mais cedo ou mais tarde, o organismo entra em stress.

Se não consegue evitar o stress, pode ajudar-se a si próprio, arranjando alternativas que o ajudem a reagir melhor quando a vida constitui um desafio. A melhor maneira de auxiliar o seu corpo, a combater as agressões externas, é alimentando-o e mimando-o convenientemente.

Como?

Procure certificar-se que as refeições que faz são adequadas e saudáveis. Tente fazê-las a horas certas, não “saltando” refeições, nem comendo muito para o fim da tarde e noite.

alimentação
Há que apostar na qualidade dos alimentos que ingere. Faça refeições com bastantes vegetais e frutos ricos em vitaminas e sem aditivos artificiais (pode substitui-los por ervas para dar sabor, além de qualidade).

Uma dieta equilibrada inclui o cumprimento de certas normas, assim a percentagem de cada alimento na nossa refeição deve ser:

Vegetais e frutas: 40 a 60%.
Cereais: 30 a 40%.
Feijões, produtos lácteos, carnes, peixe e nozes: 10 a 20%.
Tente reduzir as substâncias estimulantes como o café, o chá, o álcool e os refrigerantes. Beba água ou tisanas.

Se o seu apetite estiver alterado e o corpo apresentar sinais óbvios de cansaço, sugerimos-lhe de seguida algumas receitas, que o ajudarão a sentir-se melhor.

 Infusões para o stress

Deite 10 g de cada uma das plantas referidas (escolhendo uma de entre o grupo: escutelária, betónica ou verbena) num bule. Cubra com água a ferver e deixe 10 minutos em infusão. Coe e beba uma chávena morna 3 vezes por dia.

Outras infusões simples, com uma ou duas plantas, produzem acalmia e relaxamento. A alfazema e o lúpulo diminuem a tensão e promovem um sono revigorante e relaxante. A camomila ajuda a relaxar a função digestiva.

Outros conselhos

Para ajudar o seu corpo e mente a descansar e alcançar um estado harmonioso, procure fazer exercícios que produzam tal efeito. A prática regular de chikung ajuda a exercitar o corpo, não o desgastando, e ajuda a revigorar a mente. Outro efeito benéfico é o fortalecimento do corpo e a correcta circulação da energia, que o protege das agressões a que está sujeito.

Portanto, se quer obter saúde e “passar ao lado” do stress da vida diária, alimente-se bem, permita ao seu corpo descansar e refazer as energias para enfrentar outro e outro dia!

Passe bem e mime-se!

Autor

Ana Rita Lopes, ESMTC.

ESTUDO DOS 12 CANAIS PRINCIPAIS, REN MAI E DU MAI

Postado em

Os 12 meridianos regulares têm trajeto próprio de circulação, que se interligam entre eles, e constituem o alicerce de todo o sistema de meridianos e colaterais.

Dos 8 meridianos extras, o Du Mai (Vaso Governador) e o Ren Mai (Vaso Concepção) são os mais importantes. Por isso, os 12 meridianos regulares e os 2 extras são chamados de “Os 14 Meridianos”.

A distribuição dos demais meridianos e dos colaterais acompanha o trajeto dos meridianos correspondentes.

7
Canal do Pulmão (Fei)

Polaridade:………………………

Horário máximo de energia………………………… ………………………

Direção/Sentido ……………………………../…………………………………..

Canal Acoplado……………… Canal mãe………………………… Canal filho………………………

Elemento……………………… Mãe……………………………….. Filho …………………………….

Domina o(a)……………………………………(elem) ………………………………. (canal)

É dominado pelo(a)………………………… (elem)…………………………………(canal)

Nível energético…………………………………………………………………………………..
Sintomas gerais do Fei
1. Sintomas de plenitude do canal: 2. Sintomas de deficiência do canal:

Canal Principal do Pulmão

canal do pulmão

Canal do Intestino Grosso (Da Chang)

Polaridade:………………………

Horário máximo de energia…………………………

Direção/Sentido ……………………………../…………………………………..

Canal Acoplado……………… Canal mãe………………………… Canal filho………………………

Elemento……………………… Mãe……………………………….. Filho …………………………….

Domina o(a)……………………………………(elem) ………………………………. (canal)

É dominado pelo(a)………………………… (elem)…………………………………(canal)

9
Canal do Intestino Grosso (Da Chang)

Polaridade:………………………

Horário máximo de energia…………………………

Direção/Sentido ……………………………../…………………………………..

Canal Acoplado……………… Canal mãe………………………… Canal filho………………………

Elemento……………………… Mãe……………………………….. Filho …………………………….

Domina o(a)……………………………………(elem) ………………………………. (canal)

É dominado pelo(a)………………………… (elem)…………………………………(canal)

Nível energético…………………………………………………………………………………..
Sintomas gerais do Da Chang
1. Sintomas de plenitude do canal:

2. Sintomas de deficiência do canal:
10
Canal Principal do Intestino Grosso

INTESTINO GROSSO 2

TAO – A Sabedoria do Silêncio Interno

Postado em

TAO

Pense no que vai dizer antes de abrir a boca. Seja breve e preciso, já que cada vez que deixa sair uma palavra, deixa sair uma parte do seu Chi (energia). Assim, aprenderá a desenvolver a arte de falar sem perder energia.

Nunca faça promessas que não possa cumprir. Não se queixe, nem utilize palavras que projectem imagens negativas, porque se reproduzirá ao seu redor tudo o que tenha fabricado com as suas palavras carregadas de Chi.

Se não tem nada de bom, verdadeiro e útil a dizer, é melhor não dizer nada. Aprenda a ser como um espelho: observe e reflicta a energia. O Universo é o melhor exemplo de um espelho que a natureza nos deu, porque aceita, sem condições, os nossos pensamentos, emoções, palavras e acções, e envia-nos o reflexo da nossa própria energia através das diferentes circunstâncias que se apresentam nas nossas vidas.

Se se identifica com o êxito, terá êxito. Se se identifica com o fracasso, terá fracasso. Assim, podemos observar que as circunstâncias que vivemos são simplesmente manifestações externas do conteúdo da nossa conversa interna. Aprenda a ser como o universo, escutando e reflectindo a energia sem emoções densas e sem preconceitos.

Porque, sendo como um espelho, com o poder mental tranquilo e em silêncio, sem lhe dar oportunidade de se impor com as suas opiniões pessoais, e evitando reacções emocionais excessivas, tem oportunidade de uma comunicação sincera e fluída.

Não se dê demasiada importância, e seja humilde, pois quanto mais se mostra superior, inteligente e prepotente, mais se torna prisioneiro da sua própria imagem e vive num mundo de tensão e ilusões. Seja discreto, preserve a sua vida íntima. Desta forma libertar-se-á da opinião dos outros e terá uma vida tranquila e benevolente invisível, misteriosa, indefinível, insondável como o TAO.

Não entre em competição com os demais, a terra que nos nutre dá-nos o necessário. Ajude o próximo a perceber as suas próprias virtudes e qualidades, a brilhar. O espírito competitivo faz com que o ego cresça e, inevitavelmente, crie conflitos. Tenha confiança em si mesmo. Preserve a sua paz interior, evitando entrar na provação e nas trapaças dos outros. Não se comprometa facilmente, agindo de maneira precipitada, sem ter consciência profunda da situação.

Tenha um momento de silêncio interno para considerar tudo que se apresenta e só então tome uma decisão. Assim desenvolverá a confiança em si mesmo e a Sabedoria. Se realmente há algo que não sabe, ou para que não tenha resposta, aceite o fato. Não saber é muito incómodo para o ego, porque ele gosta de saber tudo, ter sempre razão e dar a sua opinião muito pessoal. Mas, na realidade, o ego nada sabe, simplesmente faz acreditar que sabe.

Evite julgar ou criticar. O TAO é imparcial nos seus juízos: não critica ninguém, tem uma compaixão infinita e não conhece a dualidade. Cada vez que julga alguém, a única coisa que faz é expressar a sua opinião pessoal, e isso é uma perda de energia, é puro ruído. Julgar é uma maneira de esconder as nossas próprias fraquezas.

O Sábio tolera tudo sem dizer uma palavra. Tudo o que o incomoda nos outros é uma projecção do que não venceu em si mesmo. Deixe que cada um resolva os seus problemas e concentre a sua energia na sua própria vida. Ocupe-se de si mesmo, não se defenda. Quando tenta defender-se, está a dar demasiada importância às palavras dos outros, a dar mais força à agressão deles.

Se aceita não se defender, mostra que as opiniões dos demais não o afectam, que são simplesmente opiniões, e que não necessita de os convencer para ser feliz. O seu silêncio interno torna-o impassível. Faça uso regular do silêncio para educar o seu ego, que tem o mau costume de falar o tempo todo.

Pratique a arte de não falar. Tome algumas horas para se abster de falar. Este é um exercício excelente para conhecer e aprender o universo do TAO ilimitado, em vez de tentar explicar o que é o TAO. Progressivamente desenvolverá a arte de falar sem falar, e a sua verdadeira natureza interna substituirá a sua personalidade artificial, deixando aparecer a luz do seu coração e o poder da sabedoria do silêncio.

Graças a essa força, atrairá para si tudo o que necessita para a sua própria realização e completa libertação. Porém, tem que ter cuidado para que o ego não se infiltre… O Poder permanece quando o ego se mantém tranquilo e em silêncio. Se o ego se impõe e abusa desse Poder, este converter-se-á num veneno, que o envenenará rapidamente.

Fique em silêncio, cultive o seu próprio poder interno. Respeite a vida de tudo o que existe no mundo. Não force, manipule ou controle o próximo. Converta-se no seu próprio Mestre e deixe os demais serem o que têm a capacidade de ser. Por outras palavras, viva seguindo a via sagrada do TAO.

(Texto Taoísta)

Meridiano Intestino Grosso – Medicina Tradicional Chinesa (MTC).

Postado em

INTESTINO GROSSO

1. Shangyang (IG1): ponto Jin pertence ao elemento Metal

Localização: no lado radial do dedo índex, 0,1 tsun posterior e radial no leito ungueal.

Aplicação: agulhar, 0,1-0,2 tsun ou deixar sangrar uma a duas gotas.

Indicações: furunculose no rosto; amigdalite; dor de dentes; apoplexia; coma; glaucoma; dor no ombro; dedos adormecidos.

2. Erjian (IG2): ponto Ying pertence ao elemento Água; ponto de Filho

Localização: no lado radial do dedo índex, na depressão distai da junta metacarpo-falângica.

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,1-0,3 tsun.

Indicações: epistaxe; dor de dentes; amigdalite; faringite; bursite de ombro; febre.

3. Sanjian (IG3): ponto Shu pertence ao elemento Madeira

Localização: no lado dorsal da mão, no lado radial do segundo metacarpo, na depressão atrás da segunda junta metacarpo-falângica.

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,3-0,7 tsun.

Indicações: laringite; amigdalite; dor de dentes; trigeminalgia; dor no olho; bursite de ombro; tendinite de cotovelo; boca seca; língua amarela; falta de apetite.

4. Hegu (IG4): ponto Yuan

Localização: no lado dorsal da mão, entre o primeiro e o segundo osso metacarpo no meio do primeiro músculo interósseo dorsal; ao abrir o polegar e o dedo indicador, no meio da linha entre a junção do primeiro e do segundo osso metacarpo, o ponto médio da borda da palma, ou quando fecha a mão, entre o primeiro e o segundo metacarpo, o ponto mais alto em cima do

Músculo interósseo.

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,5-1 tsun; moxa, 10 minutos

Indicações: dor de cabeça; dor de dentes; amigdalite; faringite; rinite; epistaxe; asma; bronquite; paralisia facial; dor no braço e ombro; gripe; hipoidrose ou hiperidrose; insônia; nervosismo; zumbido ou distúrbio do ouvido; escabiose.

5. Yangxi (IG5): ponto Jing pertence ao elemento Fogo

Localização: no lado dorso-radial do punho, um pouco distai do osso rádio, onde há depressão entre os tendões do músculo extensor curto e longo do polegar, ao esticar e abrir o polegar.

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,3-0,5 tsun; moxa, 10 minutos.

Indicações: dor de cabeça; conjuntivite; zumbido; distúrbios do ouvido; dor de garganta; amigdalite; dor de dentes; dor no punho e na mão.

6. Pienli (IG6): ponto Lo

Localização: 3 tsun acima do Yangxi (IG5), no lado dorso-radial do antebraço, do músculo adutor longo do polegar e tendão do músculo extensor curto do carpo-radial.

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,3-0,7 tsun; moxa, 10 minutos.

Indicações: amigdalite; zumbido; distúrbios do ouvido; epistaxe; dor de dentes; paralisia facial; dor nos ombros e nos braços,

7. Wenlu (IG7): ponto Xi

Localização: 5 tsun acima do punho, no lado dorso-radial do antebraço, entre o músculo adutor longo do polegar e músculo extensor curto do carporadial.

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,5-1 tsun; moxa, 10 minutos.

Indicações: dor de dentes; furunculose no rosto e braços; amigdalite; dor no braço; estomatite; parotite; glossite; inchação no rosto.

8. Xialian (IG8)

Localização: 4 tsun abaixo do cotovelo, no lado dorso-radial do antebraço, entre o músculo extensor carpo-radial longo e o músculo extensor carporadial curto.

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,5 -1 tsun; moxa, 10 minutos.

Indicações: dor de cabeça; tontura; dor no antebraço; dor de barriga (ao redor do umbigo); pleurite; mastite; hematúria (cistite).

9. Shanglian (IG9)

Localização: 3 tsun abaixo do cotovelo, no lado dorso-radial do antebraço, no meio do músculo extensor carpo-radial longo (Fig. 10).

Aplicação: agulhar, 0,5-1 tsun; moxa, 15 minutos.

Indicações: dor de cabeça; dor no ombro e no cotovelo; dor de estômago; dor no intestino (borborigmo); membros adormecidos; hemiplegia.

10. Shousanli (IG10)

Localização: 2 tsun abaixo do cotovelo, no lado dorso-radial do antebraço entre o músculo extensor carpo-radial longo e o músculo braquiorradial.

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,5-1 tsun; moxa, 15 minutos.

Indicações: dor de dentes; parotidite; rinite; furunculose; carbunculose; mastite; hemiplegia; dor no cotovelo, braço e ombro; tremor nos braços; distensão abdominal; diarréia.

11. Quchi (IG11): ponto Ho pertence ao elemento Terra; ponto de Mãe

Localização: no lado radial do cotovelo, no músculo braquiorradial; ao dobrar o cotovelo, na depressão radial no fim da linha cubital.

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 1,2-1,5 tsun; moxa, 20 minutos.

Indicações: dor no cotovelo (tennis elbow); dor no ombro; dor no joelho; paralisia no braço; hemiplegia; febre; hipertensão; amigdalite; pleurite; dermatite; eczema; gengivite; tuberculose; pneumonia; conjuntivite; dismenorréia; reumatismo.

12. Zhouliao (IG12)

Localização: em cima do epicôndilo lateral do úmero, no lado do osso, 1 tsun acima do Quchi (IG11).

Aplicação: agulhar, 0,5-1 tsun; moxa, 10 minutos.

Indicações: dor no cotovelo e no braço; sonolência.

13. Wuli (IG13)

Localização: no lado ântero-radial do úmero, 3 tsun acima do cotovelo, no ponto inicial do músculo braquiorradial, ao lado do músculo tríceps do braço.

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,3-0,7 tsun (evitar lesar a artéria e os nervos); moxa, 10-20 minutos.

Indicações: dor no braço; dor no cotovelo; braquialgia.

14. Binao (IG14)

Localização: abrange o lado lateral e um pouco do radial do braço, no ponto distal do músculo deltóide, 3 tsun abaixo do ponto Jianyu (IG15).

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,5 tsun; moxa, 15-20 minutos.

Indicações: dor no ombro e no braço; furunculose.

15. Jianyu (IG15)

Localização: em cima do ombro, na borda lateral do acrômio, há duas depressões; este ponto fica na depressão anterior.

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,5-1,5 tsun; moxa, 10-15 minutos.

Indicações: bursite de ombro; hemiplegia; urticária; furunculose.

16. Jugu (IG16)

Localização: na depressão entre a borda superior e posterior da junta acrômioclavicular e a espinha da omoplata.

Aplicação: agulhar, 1-1,2 tsun.

Indicações: tendinite; bursite de ombro.

17. Tianding (IG17)

Localização: 1 tsun abaixo do ponto Futu do pescoço (IG18). Na borda posterior do músculo esterno-clidomastóideo.

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,5-1 tsun; moxa, 10-20 minutos.

Indicações: faringite; amigdalite; inflamação das cordas vocais (voz rouca).

18. Futu (IG18)

Localização: na linha da borda inferior da cartilagem da tiróide, a 3 tsun da linha central, no lado do músculo esterno-clidomastóideo.

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,3-0,5 tsun.

Indicações: tosse; laringite; faringite; amigdalite.

19. Holiao (IG19)

Localização: 0,5 tsun no lado do ponto Renzhong (DM26).

Aplicação: agulhar, 0,3-0,5 tsun.

Indicações: epistaxe; obstrução nasal; rinite; paralisia facial.

20. Yingxiang (IG20)

Localização: no ponto de encontro da linha inferior do nariz e da linha nasolabial.

Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,3-0,5 tsun ou obliquamente para cima (súpero-medial), 0,3-0,7 tsun.

Indicações: rinite; sinusite; paralisia facial; distúrbio olfativo; eólica biliar.

Acupuntura – Técnica por Moxabustão.

Postado em

MOXA1

É uma técnica terapêutica da Medicina Tradicional Chinesa, que se baseia, nos mesmos princípios e conhecimento dos meridianos de energia trabalhados na acupuntura.  A moxabustão trata e previne doenças através de aplicação de calor em pontos do corpo humano, removendo e desobstruindo os bloqueios de energia e restabelecendo o seu fluxo saudável.
A moxa é preparada a partir da Artemísia (Artemísia Vulgaris e Artemísia Sinensis), uma erva perene comum. Suas folhas aromáticas são lavadas, secas, trituradas e peneiradas várias vezes até que fiquem macias e se transformem em uma massa uniforme, semelhante a uma lã vegetal.

Após esse preparo ela pode ser moldada de diversas formas para a sua utilização: solta (lã), prensada (palito), enrolada (bastão),  adesiva (cones),  enrolada fina (cigarro)  resinada (auricular), sem fumaça (com carvão) aromatizada (com carvão). As mais comuns são no formato de bastão e em cone.

SUA ORIGEM E HISTORIA:

dgeh

A  Moxabustão significa literalmente, “longo tempo de aplicação do fogo” e é uma prática originária do norte da China, cerca de 3.500  anos AC. e introduzida no Japão por volta do ano 265 DC., levada  por monges japoneses, que estudaram na China –  e segundo historiadores – teriam sido eles os responsáveis pela introdução da Terapia Tradicional Chinesa no Japão.

Embora tenha sido usada há milênios, foi registrada pela primeira vez em textos médicos durante a dinastia Song ou Sung, que governou os chineses de 960 a 1275 DC. É uma terapia importante na Medicina Tradicional Chinesa: os textos antigos dizem que a moxa deve ser usada se a acupuntura e as ervas não funcionassem na cura da doença.

COMO FUNCIONA:

A combustão da Artemísia tem a propriedade de aquecer profundamente, tornando-a eficaz quando há menos circulação, condições frias e úmidas, além da deficiência do yang. A Artemísia tem o poder de extrair a energia Yang do Yin.  Quando aplicada aos pontos de acupuntura específicos à deficiência de yang, o corpo absorve o calor o máximo possível, recuperando o Qi (energia) do yang do corpo e o “fogo ministerial”, a fonte de todo o calor e energia do corpo.

Para isso, basta acender a ponta do bastão ou cone de Moxa e mantê-lo cerca de um centímetro ¬¬da superfície da pele, porém a distância varia de acordo com a tolerância do paciente e da quantidade de estímulo térmico que se deseja.

Normalmente o bastão (ou o cone) é queimado alguns segundos em cada ponto de Acupuntura até a pele ficar avermelhada e o local aquecido. O calor do bastão de moxa também pode ser conduzido através da agulha de acupuntura, por aproximação da pele. Esse processo é tido como moxa indireta: implica em enrolá-la, colocá-la na ponta de uma agulha de acupuntura enquanto ela está no corpo, e acendê-la.

O calor da moxa percorre o cabinho e a agulha e esta transfere o calor especificamente ao ponto desejado no corpo. A moxabustão pode ser utilizada sozinha ou associada às práticas de acupuntura tradicional e ventosa terapia.

Moxibustion
MOXABUSTÃO INDIRETA

Com Gengibre:

Corte um pedaço de gengibre de cerca de 3 a 5 mm e fure-o em cinco pontos, como o cinco de um dado. Coloque o cone de moxa sobre a rodela de gengibre e, em seguida, sobre o ponto que se quer tratar. Acenda o cone usando um fósforo. Quando o paciente começar a sentir ardência, retire a rodela de cima da pele e mantenha suspensa (presa pela mão) sobre o mesmo ponto até que a sensação de aquecimento suavize.

Recoloque então o gengibre sobre o ponto. Repita o processo até que o ponto fique bastante vermelho, quente e úmido. Usamos de 5 a 7 cones em cada tratamento, que pode ser repetido em dias alternados. Este método é mais indicado para vômitos, diarreias, artrites e também pode ser usado para quaisquer outras doenças que respondam bem ao método de moxabustão.

Com Alho:

O procedimento é o mesmo que o método com o gengibre, só que em vez dele, usamos o Alho. É contraindicado em pacientes com febre. É usado principalmente nos casos de Tuberculose Pulmonar e Linfática e no primeiro estágio dos abscessos.

Com Sal:

Encha o umbigo com sal até o nível da pele. Coloque o cone de moxa sobre o sal e acenda-o. Usado em casos de emergência, coma, vômitos, apoplexia do tipo flácido, diarreias, fraqueza, energia baixa etc. Com uma palheta ou colherinha controle o aquecimento do ponto para não queimar o paciente.

Com cebolas:

Dispor sobre o abdômen ao redor do umbigo, fatias de cebola branca e por cima, colocar cones grandes. Queimas simultânea ou sucessivamente. Usado para casos de colapso, flatulência, dores abdominais do tipo frio, anúria, retenção urinária.
INDICAÇOES:

• A moxabustão é tida como Yang puro, por isso serve para fortificar o Yang enfraquecido do paciente.

• Regula o Qi e o sangue.

• Auxilia na anemia, stress, cansaço físico e mental.

• Abrem os doze canais (meridianos) principais de energia.

• Fortifica na convalescência, nas fraquezas (fadiga) crônicas, por obstrução do Frio e Umidade;

• Expele o frio e a umidade, colaborando nas afecções pelo Frio, as desordens do Yin.

• Minimiza os desconfortos da velhice e propicia uma longevidade saudável.

• Dispersa a energia perversa.

• Aumenta a energia defensiva.

• Realinha desordens ginecológicas e distúrbios sexuais.

• É eficaz no combate das doenças respiratórias como asma e bronquite, além de alergias.

• Também nos distúrbios digestivos como dores abdominais, indigestão, diarreia, náuseas, vômito.

• Cauteriza verrugas.

• Auxilia no alívio das doenças osteoarticulares, artrite, problemas da coluna.

• Aplicada em situações onde não é possível a utilização de agulhas.

CONTRA INDICAÇOES:

• Em tratamento de doenças com quadro febril.

• Lesões traumáticas na pele.

• Em casos de problemas psíquicos.

• Em áreas próximas aos genitais, mamilos, couro cabeludo e rosto.

• Em crianças, sua aplicação deve ser avaliada com cuidado pelo profissional.

• Idosos muito combalidos.

Fonte: Mao-Liang, Qiu (Org). Acupuntura chinesa e moxabustão. SP, roca, 2001

Acupuntura e acupressão.

Postado em

MERIDINO BEXIGA
O corpo tem 14 centros de energia imaginários, também chamados de “meridianos”. Cada um é ligado a um determinado órgão do corpo. A energia flui continuamente ao longo desses meridianos, mas se há um bloqueio em qualquer um desses pontos, resulta em doença.

Quando se aproximar de um terapeuta com a sua queixa, ele vai avaliar o problema e localizar o bloqueio.
Ele “incidirá sobre a liberação da energia centros congestionados pela aplicação da pressão de contato, criando um fluxo de energia harmonizada” para restaurar sua saúde.

Essa terapia é baseada no princípio de que o nosso corpo é uma massa de nervos e veias cruzadas, assim como em qualquer placa de circuitos elétricos, são altamente interconectados. E, a quantidade de pressão aplicada em uma parte particular vai revelar o seu efeito em outra.

Origens:
Acupuntura e acupressão são disciplinas inter-relacionadas que têm suas raízes na antiga medicina chinesa. Existem muitas lendas que tentam explicar suas origens. Existe uma lenda que diz que, quase 3.000 anos atrás, os guerreiros chineses depararam com a terapia, muito pelo acidente, já que estavam feridos no campo de batalha, perfurados por flechas. Quando se recuperaram, a maioria dos soldados alegou que eles experimentaram alívio pela primeira vez de uma doença crônica.

Acupuntura envolve o uso de agulhas esterilizadas. Os furos são feitos ao longo dos meridianos, com base nos princípios da filosofia oriental, que o corpo é um rio que flui enorme e cheio de energia, ou QI prana. Se o QI é perturbado, em qualquer ponto, não haveria bloqueio. Este acabaria por resultar em doença.

Os furos no corpo são feitos ao longo das áreas em que o bloqueio ocorreu para liberar o atolamento, resultando no livre fluxo de energia da vida, mais uma vez. A acupressão acredita-se, foi inicialmente desenvolvida pelos budistas na China. Eles acreditavam profundamente e propuseram a teoria da não-cura, alternativa invasiva.

No início de 1990, no auge do pânico da AIDS, as pessoas começaram a ter uma aversão coletiva de agulhas. Terapeutas redescobriram uma alternativa mais suave – a acupressão – que envolveu apenas a aplicação do toque medido. Ela foi encontrada para ser tão eficaz na promoção da cura sem efeitos colaterais.

Dicas para acupressão

O QUE DIZ A CIÊNCIA OCIDENTAL:
Quando o assunto é Qi e meridianos, os cientistas ocidentais preferem encontrar outras explicações médicas mais aceitáveis para o fenômeno representado pela acupressão e acupuntura. Eles preferem associá-lo a componentes químicos aliviadores da dor, como as endorfinas, e também à “teoria da porta de controle” para o alívio da dor.

De forma simples, de acordo com esta teoria, mensagens de pressão transmitidas pelos nervos alcançam o cérebro mais rápido do que as mensagens de dor. Uma vez que o cérebro, só consegue receber certo número de mensagens de cada vez, a “porta” se fecha quando os sinais de dor chegam.

É como se a pressão estimulasse fibras nervosas que sobem através da coluna vertebral, resultando em última instância na produção de endorfinas, morfina – compostos similares que influenciam os sistemas hormonal e imunológico, e inibem a percepção do cérebro, especialmente quando associados à ansiedade e estresse.

Mas, por que, por exemplo, o estímulo de certos pontos específicos, e não de outros, desencadeia certas respostas do cérebro? E de que forma estas repostas induzem uma reação em outra parte do corpo, aparentemente sem relação alguma com a primeira? Se os agentes neuroquímicos são os responsáveis, quais os canais através dos quais eles operam? Nem o sistema nervoso, e nem os sistemas vascular ou linfático, conseguem esclarecer completamente este fluxo de informação.

Será que existe um padrão de energia – possivelmente eletromagnético – baseado nesses antigos meridianos chineses – tão sutil, que a tecnologia moderna ainda não conseguiu detectar? Ninguém realmente sabe.

Os cientistas chegam a admitir claramente estarem na Idade da Pedra quando confrontados com explicações a respeito das complexas interações entre a mente e o corpo.
Em um estudo, traços radioativos, injetados em pontos da acupuntura, pareceram viajar através de caminhos semelhantes aos meridianos, sem nenhuma relação com os sistemas linfáticos, ou de circulação de sangue, e, de acordo a alguns pesquisadores, parecem indicar um mecanismo neuroquímico de transmissão da informação.

A acupuntura e a acupressão trabalham com os mesmos princípios:
A medicina moderna vê estritamente o corpo em partes e não como um todo integrado. É por isso que cada parte do corpo é tratada através de medicamentos específicos, em separado. Por exemplo, se você tiver dor de barriga ou dor de cabeça, e se dirigir ao seu médico, você está com toda a probabilidade de usar um medicamento que tem como alvo apenas os órgãos específicos do corpo que estão em perigo.

No entanto, sistemas alternativos de medicamentos, como acupuntura, têm mantido por muito tempo a idéia de que o corpo humano não pode ser alvo em pedaços e que uma doença que afeta uma parte da anatomia pode, de fato, ter sua fonte em outro lugar. Atacar o problema na sua raiz pode trazer uma cura duradoura. Acupressão é uma forma ideal de tratamento, uma vez que ela faz isso de uma forma muito suave.

A combinação com outras terapias:
A acupressão na Índia, é geralmente, combinada com Reiki e outros modos conhecidos de curas alternativas, incluindo a homeopatia. Em vez de pressão, em alguns casos, as sementes de trigo cores, ímãs, também são utilizados nos meridianos para remover o bloqueio do fluxo de energia.

A Yoga também pode ajudá-lo a tornar-se mais propício à terapia da acupressão. Um rápido passeio também vai facilitar a respiração profunda, pois acalma a mente, e libera a energia associada com a cura. Em momentos como este acupressão torna-se mais eficaz como a energia flui através de nossos corpos mais harmoniosa.

Muitas pessoas não percebem que doenças podem ser curadas através de um sistema simples de toque -, aplicando e liberando pressão nos pontos meridianos do corpo que são conhecidos por estar relacionado com a atividade dos vários órgãos.  A pressão aplicada envolve uma abordagem personalizada.
Uma teoria diz: Sinta-se e se entregue a pressão, correlacionando a resposta do paciente. Portanto, o melhor juiz da pressão correta seria os próprios pacientes. Este, na verdade, promove a autocura.

Embora a acupuntura e acupressão, sejam frequentemente descritas como autoterapias de cura, uma compreensão mais profunda do assunto é necessária antes de tentar curar a si mesmo e os outros.
Não use acupressão para substituir os procedimentos de emergência padrão, ou tratamento médico licenciado. A acupressão deve ser usada como uma terapia complementar. Verifique com um especialista antes de optar por tratamento.

De acordo com as restrições da OMS, não execute acupressão / acupuntura imediatamente antes, ou no prazo de 20 minutos, após o exercício pesado, uma grande refeição, ou tomar banho. Selecione o seu terapeuta com cuidado. Enquanto a maioria dos terapeutas são médicos, muitos podem ser apenas treinados, ou especializados no tratamento, sem formação médica.

Acupressão na gravidez:

Terapeutas concordam que a acupuntura é uma bênção disfarçada para mulheres grávidas. Estima-se que 80 por cento de todas as mulheres grávidas sofrem de dores, ou velhos distúrbios fisiológicos que se manifestam antes e após a gravidez. Acupressão tem dado bons resultados no alívio do stress da gravidez, tornando assim os trimestres menos desconfortáveis.

A maioria dos ginecologistas e obstetras de todo o mundo, hoje recomendam a acupuntura como uma das mais seguras formas de terapia. De acordo com informações divulgadas pela OMS, “A acupuntura, regula a função intestinal e melhora a resposta imune sem causar um desequilíbrio da flora intestinal, assim como antibióticos”.

bemestar03.jpg.900x500_q85

Usando Acupressão:
Para estimular um ponto aplique uma pressão forte com:

As ilustrações e o texto dão a localização aproximada de um ponto. Explore a área com uma pressão profunda e vigorosa, até você sentir o ponto exato devido à dor aguda.
Começa com uma sacudida, depois de um instante se torna uma sensação dormente, ou um formigamento vindo do ponto. Você pode levar um susto na primeira vez, mas a sensibilidade diminui com a experiência. Quando encontrar o ponto, aplique a pressão de 15 a 30 segundos. Repita com o mesmo ponto, do outro lado do seu corpo. Você deve sentir alívio imediato. Você pode se sentir livre da tensão, com a drenagem do suor. Talvez você arrote ou solte gases. Às vezes, pontos nos lados opostos do corpo, responderão de formas diferentes.

Se os sintomas aumentarem, não use esse lado ou ponto. Se o primeiro ponto não funcionar, tente o próximo ponto, ou pontos, até você encontrar um que funcione. Pode haver mais de uma abordagem a seus sintomas, tal como ‘rins’ X ‘dor nas costas’. Quando encontrar um ponto que ajuda, trabalhe esse ponto. Se o alívio é temporário, reestimule o local. Algumas vezes a dor passa e retorna três ou quatro vezes, cada vez em menor intensidade. Seu objetivo é a harmonia interna, então, fique em um local silencioso, sente-se ou deite-se e relaxe. Evite música alta, exercícios, alimentos, drogas ou álcool enquanto estimula seus pontos de pressão.

Um Exemplo Clássico de Acupressao:

Sendo uma antiga técnica de cura, o do-in/acupressão ganhou imensa popularidade e aceitação em todo o mundo, proporcionando alívio nas diversas condições de saúde. É frequentemente considerado como uma variação da técnica de acupuntura, pois se baseia nos mesmos princípios. A acupressão e a acupuntura trabalham, estimulando determinados pontos de pressão específicos localizados em diferentes regiões do corpo. A estimulação desses pontos de pressão é usada para melhorar a resposta do corpo a uma série de condições de saúde.

A única diferença entre ambos (do-in e acupuntura) é que, em acupuntura, os pontos são estimulados com a ajuda de agulhas, enquanto que na acupressão/Do-in, os dedos, cotovelos ou alguns dispositivos especiais, como bolas de acupressão e tapetes são utilizados para esta finalidade. De acordo com as antigas práticas chinesas de acupressão e acupuntura, há mais de mil pontos de pressão em nosso corpo, que estão localizados nos meridianos. Meridianos são linhas imaginárias, através das quais o fluxo de energia vital circula.

Qualquer obstrução a esse fluxo é associada com diferentes doenças. Assim, a estimulação dos pontos de acupuntura pode melhorar o fluxo de energia através dos meridianos, e assim fornecer alívio a diversas doenças, incluindo as dores de cabeça. A dor de cabeça pode ser um sintoma presente em numerosos problemas de saúde, e também, pode ser associada com a tensão, o stress e a fadiga.
O Do-in / Acupressura, pode proporcionar alívio significativo à dor de cabeça, estimulando determinados pontos específicos:

Estes são os pontos: VB20, IG 4 e F3.

O ponto VB20 está localizado na base do crânio. Na depressão que pode ser sentida, logo abaixo da base do crânio. A estimulação desse ponto pode aliviar a dor sentida na região das temporas, e nos lados da cabeça. Você pode aplicar pressão direta sobre este ponto com o dedo durante 2-3 minutos, ou massagear a área gentilmente. O ponto IG4 está localizado na depressão entre o polegar e o dedo indicador. Use o polegar da outra mão para pressionar este ponto por cerca de 2-3 minutos.

Em seguida, massageie suavemente a área com movimentos suaves em direção ao pulso, por mais 2 minutos. Este ponto pode ser muito eficaz também para dor de dente e sinusite.
É preciso também tomar cuidado para não estimular alguns pontos em determinadas condições. Como por exemplo, o IG4 não deve ser estimulados em mulheres grávidas. pois a estimulação deste ponto é conhecida por induzir as contrações uterinas em mulheres grávidas e, consequentemente, pode levar ao parto prematuro. O ponto F3 esta localizado no pé entre o dedão e o segundo dedo. A estimulação desse ponto pode aliviar a dor atrás dos olhos.
Além destes pontos, a pressão ou massagem suave nas têmporas e nos cantos internos das sobrancelhas também pode proporcionar alivio da dor. Outro ponto de pressão eficaz é aquele que pode ser encontrado na área situada entre ambas as sobrancelhas e a ponte do nariz. Você pode sentir uma ligeira depressão nessa área. Massageie este ponto pressionando para cima por cerca de 1-2 minutos. É aconselhável seguir a orientação de um profissional em acupuntura, para ajudá-lo a localizar os pontos, por primeira vez. Depois você ate pode se auto aplicar!
LEA MANSOUR
Gazeta de Beirute