sintomas

Síndrome do Túnel do Carpo

Postado em

tunel_carpoO síndrome do túnel do Carpo é uma inflamação e tumefação no canal entre o braço e mão, área do punho. O canal cárpico (túnel do carpo) é uma pequena área do punho, que constitui a passagem entre o braço e a mão de estruturas como vasos sanguíneos e o nervo mediano.

Um movimento sistemático do punho na mesma direcção pode provocar inflamação e tumefacção (inchaço) no canal. Esta tumefacção exerce pressão sobre o nervo mediano provocando o síndrome do túnel do carpo também conhecido como síndrome do canal cárpico.
Uma lesão no punho, artrite, diabetes ou a gravidez podem também ser factores de pressão sobre o nervo mediano.

Sinais e sintomas do síndrome do túnel do Carpo

Poderá ter um ou vários dos sintomas seguintes:
Desconforto impreciso e doloroso na mão, no antebraço e no braço.
dormencias mãos 4Dor aguda partindo do punho e subindo pelo braço, normalmente à noite.
Rigidez do punho de manhã ou cãibras nas mãos.
Formigueiro, ardência ou dormência, normalmente no polegar, no indicador e no dedo grande da mão afetada.
Incapacidade de fechar a mão.
Fraqueza nos dedos ou insegurança da mão (deixar cair objetos).
Pele seca, inchaço ou alterações de cor na mão.
Diagnóstico
Poderá necessitar de efectuar um electromiograma (EMG) ou estudos de condução nervosa (NCS) para ajudar os médicos a saberem mais sobre os seus problemas no pulso. Estes testes medem a actividade eléctrica dos músculos em descanso e em utilização.
Um EMG também testa os nervos que controlam os músculos.

Riscos e Complicações
Atrofia muscular e incapacidade motora definitiva.

ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DO TÚNEL CARPO:

Tratamento: O tratamento deve ser específico para cada grau de compressão do nervo mediano, que pode ser dividido em leve, moderado e grave.

O tratamento conservador consiste em fisioterapia, uso de órtese (mantém o punho em extensão), acupuntura e medicações antiinflamatórias, além de exercícios de alongamento e melhora da postura, principalmente relacionada ao trabalho. São utilizadas em algumas situações infiltrações com corticóides.

banner_fimA acupuntura pode auxiliar no tratamento diminuindo a dor e edema local, aumentando a sensibilidade e força muscular.

Quando o tratamento conservador não melhora os sintomas, o procedimento cirúrgico deve ser utilizado, porém se o fator causador da doença não for eliminado, pode-se ter uma recidiva da lesão.

Visão Oriental (inclui termos relacionados à MTC)

Exceto nos casos por traumas, a síndrome do túnel do carpo deve-se devido à obstrução da circulação de Qi e Xue do canal Principal Xin Bao Luo (C/S) e de seu canal de energia Tendinomuscular, como conseqüência da penetração do Frio, Umidade ou Vento.
O aparecimento de dor no punho deve-se às alterações do Qi do Xin (Coração) e dos Canais de Energia (Tendinomusculares e Principais) que passam por essa articulação.
Os Canais de Energia sofrem o processo de estagnação de Qi e Xue quando acometidos por energias perversas vento, frio, umidade, umidade-calor, ocasionando além da dor, processos inflamatórios, derrames sinoviais, artrites, artroses, na dependência do tipo e das características de cada energia perversa.
A Síndrome do túnel do Carpo pode ser uma manifestação clínica da Síndrome Yang Qiao Mai ou do Yin Qiao Mai (este acompanhado de cervicobraquialgia).

Posicionamento computador

Dicas para posicionamento correto ao trabalhar com computador

Hoje em dia todos estamos conectados o tempo todo. O computador é aliado nas horas de trabalho e diversão. Porém , para desfrutar das maravilhas tecnológicas sem prejudicar seu corpo, observe sua postura e faça alongamentos frequentes, evitando assim problemas futuros . Seguem algumas dicas :

PUNHO

punho 2

Herpes Zóster ou Zona

Postado em

Herpes Zóster ou Zona (cobreirto)

Imagem6_hzoster 6

A zona é um rash cutâneo desconfortável e doloroso causado pelo vírus do herpes zóster, o mesmo vírus que causa a varicela. Apesar de o corpo poder recuperar de um surto de varicela, o vírus nunca é eliminado do organismo. Este fica adormecido e esconde-se nas células nervosas, aparecendo mais tarde como zona. Como o vírus não pode ser eliminado do corpo, assim que uma pessoa é infectada, os surtos irão continuar a ocorrer esporadicamente.

Imagem5_hzoster 5

Os sintomas de um surto de zona podem acontecer a qualquer ponto da vida de uma pessoa, desde que tenha sofrido previamente de varicela ou que tenha sido infectada recentemente com o vírus. Porém, esta tende a ser mais comum em pessoas com mais de 50 anos.
O herpes zóster pode ser muito desconfortável, mas existem tratamentos anti-virais disponíveis para ajudar a aliviar os sintomas dolorosos e acelerar o seu tempo de recuperação.

herpes zóster 8

O Valtrex e o Famvir são eficazes a combater os sintomas do herpes zóster, reduzindo o desconforto e diminuindo a duração do surto.
O que causa o herpes zóster?
O herpes zóster (zona) é uma consequência da varicela, sendo que a maioria das pessoas a contrai quando são muito novas. Em geral, a maioria das pessoas recupera completamente da varicela sem quaisquer efeitos ou surtos futuros, porém o vírus do herpes zóster continua nas células nervosas do corpo. Os motivos porque o vírus se reactiva não estão inteiramente esclarecidos. A teoria mais plausível é que resulta de um sistema imunitário enfraquecido.

O herpes zóster é contagioso?

Imagem1_hzoster 1
Ao contrário de muitas das infecções causadas pelo vírus do herpes, o herpes zóster (zona) não é contagioso. O que significa que não apanha o vírus de alguém que demonstra sintomas visíveis, porém se nunca teve varicela pode contrair o vírus a partir de uma pessoa com herpes zóster. Contrair varicela na idade adulta não é tão perigoso como apanhar papeira, mas os adultos têm um risco maior de sofrer complicações.
Quais são os sintomas do herpes zóster?
Os primeiros sintomas de um surto de herpes zóster (zona) são geralmente uma sensação de ardor ou formigueiro numa área específica, seguida de febre. Após dois ou três dias destes sintomas iniciais, um rash começa a aparecer, seguido de pequenas bolhas numa pele vermelha e inchada. Depois de três a cinco dias, estas bolhas rebentam e forma-se uma crosta, que vai sarar entre duas a três semanas.
Existem casos raros onde as pessoas continuam a sentir dor nos nervos após o rash ter desaparecido. Este casos são conhecidos como neuralgia pós-herpética e podem ser difíceis de tratar.
O que causa um surto?

virus-herpes-zoster
Não é inteiramente conhecido o que reactiva o vírus do herpes e o motivo porque algumas pessoas têm surtos e outras não. Existe, porém, alguma associação entre os surtos e um sistema imunitário enfraquecido. Pessoas com doenças do sistema imunitário como o VIH tendem a ser muito susceptíveis a surtos. Contudo, a maioria das pessoas apenas vão sofrer surtos de zona duas ou três vezes durante a sua vida.

Fibromialgia Cartilha para pacientes.

Postado em Atualizado em

1. O que é Fibromialgia?
A Fibromialgia é uma síndrome clínica que
se manifesta, principalmente, com dor no corpofibromyalgia-symptoms
todo. Muitas vezes fica difícil definir se a dor é
nos músculos ou nas articulações. Os pacientes
costumam dizer que não há nenhum lugar do corpo
que não doa. Junto com a dor, surgem sintomas
como fadiga (cansaço), sono não reparador
(a pessoa acorda cansada, com a sensação de que
não dormiu) e outras alterações como problemas
de memória e concentração, ansiedade, formigamentos/dormências,
depressão, dores de cabeça,
tontura e alterações intestinais. Uma característica
da pessoa com Fibromialgia é a grande sensibilidade
ao toque e à compressão de pontos nos
corpos.

2. Qual é a causa
da Fibromialgia?
fibromialgiaNão existe ainda uma causa definida, mas
há algumas pistas de porque as pessoas têm
Fibromialgia. Os estudos mostram que os
pacientes apresentam uma sensibilidade maior
à dor do que pessoas sem Fibromialgia. Na
verdade, seria como se o cérebro das pessoas
com Fibromialgia interpretasse de forma
exagerada os estímulos, ativando todo o sistema
nervoso para fazer a pessoa sentir mais dor. A
Fibromialgia também pode aparecer depois de
eventos graves na vida de uma pessoa, como
um trauma físico, psicológico ou mesmo uma
infecção grave. O mais comum é que o quadro
comece com uma dor localizada crônica, que progride para envolver todo o corpo.

O motivo

pelo qual algumas pessoas desenvolvem Fibromialgia
Fibromialgia e outras não ainda é desconhecido.
O que não se discute é se a dor do paciente é real.
Hoje, com técnicas de pesquisa que permitem
ver o cérebro em funcionamento em tempo real,
descobriu-se que pacientes com Fibromialgia
realmente estão sentindo a dor que dizem sentir.
Mas é uma dor diferente, em que não há lesão
no corpo, e, mesmo assim, a pessoa sente dor.
Mesmo não sabendo a causa exata, sabemos que
algumas situações provocam piora das dores em
quem tem Fibromialgia. Alguns exemplos são:
excesso de esforço físico, estresse emocional,
alguma infecção, exposição ao frio, sono ruim
ou trauma.

3. Que grupo de pessoasfibromialgia
é mais afetada pela
síndrome?
A Fibromialgia é bastante frequente. No
Brasil está presente em cerca de 2% a 3% das
pessoas. Acomete mais mulheres que homens
e costuma surgir entre os 30 e 55 anos. Porém,
existem casos em pessoas mais velhas e também
em crianças e adolescentes.

4. Quais são os sintomas
da Fibromialgia?

dor_mialgia_lombalgia_musculos_muscular_articulacoes_ss

O principal sintoma da Fibromialgia é a
dor generalizada (dor no corpo todo), percebida 8
especialmente nos músculos. É muito comum que
o paciente sinta dificuldade de definir onde está a
dor, e muitos referem-na como sendo “nos ossos”,
nas “juntas” ou “nas carnes”. Como os músculos
estão presentes por todo o corpo, este é o motivo da
confusão. Importante notar que não só o paciente
refere dor espontânea, mas também bastante
dolorimento ao toque. Comumente o paciente com
Fibromialgia refere que não pode ser abraçado ou
mesmo acariciado. Além da dor, o cansaço é uma
queixa frequente na Fibromialgia. Muitas vezes é
difícil diferenciar este cansaço da sonolência. As
alterações do sono são extremamente comuns na
Fibromialgia, e as primeiras alterações objetivas
desta doença foram detectadas no estudo do
sono (polissonografia) destes pacientes. Muitas
vezes o paciente até dorme um bom número de
horas, mas acorda cansado – é o famoso “sono
não reparador” da Fibromialgia. Também pode

ocorrer insônia, sensação de pernas inquietas

antes de dormir e movimentos da perna durante
o sono. Como a Fibromialgia é uma doença em
que as sensações estão amplificadas, são comuns
as queixas em outros lugares do corpo, como
dor abdominal, queimações e formigamentos,
problemas para urinar e dor de cabeça. Como
outros pacientes que sofrem de dor crônica,
existem também as queixas de falta de memória
e dificuldades na concentração.

Fibromialgia

Os distúrbios do
humor como ansiedade e depressão são comuns e
importantes, como será visto a seguir.

5. Por que algumas
pessoas não acreditam
na Fibromialgia?

A Fibromialgia é uma doença em que não
existe uma lesão dos tecidos – não há inflamação
ou degeneração. Com estudos mais modernos,
verificou-se que a dor na Fibromialgia é causada
por uma amplificação dos impulsos dolorosos,
como se a pessoa tivesse um “controle de volume”
desregulado. Isso só é visto em exames muito
específicos, em pesquisas científicas. Na prática
clínica, não há como provar que a pessoa está
sentindo dor crônica – a reação corporal é muito
diferente do que na dor aguda. O paciente não está
agitado, suando frio, gritando como acontece em
um infarto ou uma cólica renal. Na dor crônica,
na maioria das vezes a pessoa comunica-se bem e
parece calma. A reação à dor nota-se na presença
de depressão, afastamento social, alteração do
sono e cansaço. Tudo isso leva algumas pessoas,
até mesmo profissionais de saúde, a terem
dúvidas se os sintomas são reais ou não. Mas a
experiência acumulada de anos, as histórias de
dor muscular e outros sintomas sendo descritos
da mesma maneira em vários locais do mundo, e
mais recentemente a visualização do cérebro do
paciente com Fibromialgia em funcionamento,
permitem uma classificação bastante adequada
dos pacientes como tendo esta condição.

6. Por que se fala tanto de depressão quando
se toca no assunto Fibromialgia?

depressão
Depression

Tanto a ansiedade quanto a depressão 10
influenciam negativamente a Fibromialgia, de
forma semelhante ao que ocorre em outras doenças.
A depressão é muito frequente na Fibromialgia,
estando presente em até 50% dos pacientes. Desta
forma, frequentemente observamos pacientes com
Fibromialgia e depressão. Ambas as condições
atuam como um círculo vicioso, piorando o
quadro. O paciente deprimido também apresenta
distúrbio do sono e fadiga, sintomas comuns na
Fibromialgia. É importante ressaltar, no entanto,
que uma parcela considerável de pacientes
com Fibromialgia não apresenta depressão, de
forma que ambas, depressão e Fibromialgia, são
condições clínicas diferentes. Da mesma forma,
vários estudos confirmaram que a dor sentida pelo
paciente com Fibromialgia é real, e não imaginária
ou “psicológica” como alguns supunham.
Quando presentes em um mesmo paciente, tanto
a depressão quanto a Fibromialgia devem ser
adequadamente tratadas.

7. Por que a Fibromialgia piora quando ficamos tristes ou deprimidos?

depressãoA interpretação da dor no cérebro sofre
varias influências, dentre elas das emoções. As
emoções positivas, como alegria e felicidade,
podem diminuir o desconforto da dor e as
negativas, como tristeza e infelicidade, podem
aumentar este desconforto. Em parte isto é
explicado pelos neurotransmissores (substâncias
químicas cerebrais que conectam as células
nervosas), como a serotonina e a noradrenalina,
que têm papel importante na interpretação da dor e na depressão. Desta forma, pacientes com
Fibromialgia que não estejam bem tratados do
quadro depressivo terão níveis mais elevados de
dor. É importante ressaltar que a piora observada
no quadro doloroso é real e não é “psicológica”.

8. Como é feito o diagnóstico da Fibromialgia?

fibromialgia diagnósticoO diagnóstico da Fibromialgia é essencialmente
clínico. O médico durante a consulta obtém
algumas informações que são essenciais. Os
sintomas mais importantes são dor generalizada,
dificuldades para dormir ou acordar cansado
e sensação de cansaço ou fadiga durante todo o
dia. Alguns outros problemas podem acompanhar
a Fibromialgia como depressão, ansiedade,
alterações intestinais ou urinárias, dor de cabeça
frequente, entre outros. Ao examinar, o médico
pode observar uma grande sensibilidade em pontos
especificos dos musculos. Estes pontos são
conhecidos como pontos dolorosos. Hoje não se
valoriza muito a quantidade de pontos que estão
dolorosos, mas a sua presença ajuda nesse diagnóstico.
Uma organização médica americana chamada
Colégio Americano de Reumatologia criou
alguns critérios para ajudar esse diagnóstico. Eles
incluem dor difusa e os pontos dolorosos já citados.
Esses critérios são muito utilizados para
realizar pesquisas sobre Fibromialgia, mas no
dia a dia o principal é a avaliação médica. Ainda
na consulta podem ser utilizados alguns questionários
que ajudam tanto no diagnóstico quanto
no acompanhamento dos pacientes. Entre esses

questionários eu citaria o Índice de Dor Generalizada,
o Índice de Severidade dos Sintomas e o
Questionário de Impacto da Fibromialgia.

9. Existe algum exame que faça o diagnóstico da Fibromialgia?

fibromialgiadgEm relação ao diagnóstico, não existem
exames para Fibromialgia. O diagnóstico é
totalmente clínico e feito através dos sintomas
e sinais. O seu médico pode pedir exames para
excluir doenças que se apresentam de forma
semelhante à Fibromialgia ou ainda para detectar
outros problemas que podem ocorrer junto e
influenciar na sua evolução.

10. Existe cura para a
Fibromialgia? A Fibromialgia
vai me deixar aleijado
ou deformado?
A Fibromialgia é uma condição médica
crônica, significando que dura por muito tempo,
possivelmente por toda a vida. Entretanto, pode
ser confortador saber que, embora não exista cura,
a Fibromialgia não é uma doença progressiva. Ela
nunca é fatal e não causa danos às articulações, aos
músculos, ou órgãos internos. Embora ainda não
tenha sido descoberta a cura para Fibromialgia,
em muitas pessoas ela melhora com o tempo, e
há casos nos quais os sintomas retrocedem quase
totalmente. A Fibromialgia não deve ser encarada
como uma doença que necessita de tratamento,

fobromialgia

mas sim como uma condição clínica que requer
controle. Isso porque, na pessoa predisposta,
suas manifestações ocorrem ao longo da vida,
na dependência de uma gama de fatores físicos
e emocionais. Nesse contexto, as manifestações
devem ser tratadas na direta proporção de sua
gravidade.

Porém, com o tratamento atual da
Fibromialgia é possível a pessoa experimentar
ficar sem dor ou com a dor em um nível muito
baixo. Os outros sintomas como a fadiga, a
alteração do sono e a depressão também podem
ser tratadas adequadamente. Mais do que em
outros problemas, o tratamento da Fibromialgia
depende muito do paciente. O médico deve atuar
mais como um guia do que somente uma pessoa
que fornece remédios. É muito importante que a
pessoa com Fibromialgia entenda que a atividade
física regular terá que ser mantida para o resto
da vida, pelo risco de a Fibromialgia voltar se
esta atividade for interrompida. Diferentemente
de outras enfermidades reumatológicas, como
a Artrite Reumatoide e Artrose, a Fibromialgia
não causa deformidades ou incapacidades físicas
graves. Entretanto, podemos observar, em um
número significativo de pacientes, uma queda
importante da qualidade de vida, com reflexos
nos aspectos social, profissional e afetivo
destes pacientes. Uma questão central para os
fibromiálgicos é a dificuldade para a execução de
tarefas, profissionais ou do cotidiano. Os pacientes
mostram-se extremamente inseguros quanto ao
desempenho pessoal, gerando um estado crônico
de revolta em relação a sua saúde. Queixam-se
frequentemente da redução da qualidade do seu
trabalho, com consequente influência em sua
vida profissional e mesmo na renda familiar.
Comuns também são relatos de indiferença por

dores fibromialgia

parte de amigos e familiares, problemas conjugais
e diminuição da frequência de atividades de
lazer e mesmo religiosas. Cerca de 70% dos
pacientes com Fibromialgia referem que a
doença afeta negativamente a sua vida sexual, na
mesma proporção para o(a) companheiro(a). Os
familiares também sofrem neste convívio com
os portadores de fibromialgia, devido ao intenso
estresse psicológico. É importante salientar, que
a gravidade da Fibromialgia pode estar também
relacionada com as diversas outras doenças
crônicas como a Artrite Reumatoide, Lúpus
Eritematoso Sistêmico, Artrose, Tendinites, entre
outras que afetam o aparelho osteoarticular.
Da mesma forma, torna-se mais grave quando
associada aos distúrbios psiquiátricos como a
depressão e ansiedade.

11. Devo fazer algum tipo
de atividade física?

atividade física
Sim. Além dos muitos benefícios à saúde, a
atividade física é reconhecidamente um método
não medicamentoso de grande impacto na
melhora da dor, do humor e da qualidade de vida
dos pacientes com Fibromialgia. Constitui-se,
assim, uma intervenção fundamental, aliada às

medidas medicamentosas, para o tratamento da
Fibromialgia.

12. Será que eu não vou
piorar se fizer atividade física? Como devo fazê-la?

Os exercícios físicos são seguros. Antes de
iniciá-los, no entanto, é importante realizar uma
avaliação funcional e de riscos potenciais inerentes
aos sistemas cardiovascular, respiratório e
locomotor, bem como dos medicamentos em uso.
A atividade física deve, portanto, ser individualizada
e prescrita pelo médico e, se for necessário,
acompanhada por profissional especializado na
área. Os exercícios são classificados em aeróbicos,
de fortalecimento e de alongamento. Dentre esses,
os aeróbicos no solo (caminhadas) ou na piscina
(hidroginástica) são os mais bem estudados e de
valor definido como determinantes da melhora
de vários parâmetros clínicos da fibomialgia (dor,
distúrbios do sono, fadiga, depressão e ansiedade).

d8h8z5g02mut3hvp0nhz6yaca

Os exercícios de fortalecimento e de alongamento
também têm seu valor cada vez mais reconhecido
e podem ser prescritos como forma segura e
eficaz para o tratamento não-medicamentoso da
Fibromialgia. Quanto à adaptação e aos resultados
de um determinado programa de atividade física,
deve-se salientar que os parâmetros de melhora
podem demorar algumas semanas para serem
reconhecidos, e, dado o condicionamento prévio
de cada indivíduo, pode até ocorrer uma piora da
dor nas primeiras semanas da realização dos exercícios.
Dessa maneira, a atividade física deve ser
sempre iniciada de forma gradual, com incrementos
progressivos ao longo do programa. O ideal é
que seja realizada de três a cinco vezes por semana,
durante 30 a 60 minutos. Por último, a prática
de exercícios físicos deve ser prazerosa e parte do
estilo de vida de cada um. Discuta com seu médico
suas preferências. É importante considerar o tipo

de exercício, o local e o horário para praticá-lo. O
importante é realizá-lo com regularidade.

acupuntura1

13. A acupuntura pode
melhorar meus sintomas?

A acupuntura tem sido utilizada para
tratamento de dores há séculos, porém sem

evidências atividade físicacientíficas fortes. Vários trabalhos

realizados apresentam resultados contraditórios,
de forma que não há consenso em recomendá-
la para pacientes com Fibromialgia. Mesmo os
trabalhos de autores orientais, adeptos da prática,
em que o resultado é de uma eficácia maior,
afirmam que há necessidade de pesquisas mais
aprofundadas, com maior número de pacientes.
Ou seja, ainda não há um consenso sobre sua
utilidade e ação terapêutica na Fibromialgia.

14. O que é terapia cognitiva-comportamental?
Como ela pode me ajudar?

dt.common.streams.StreamServer

A psicoterapia cognitiva-comportamental
(TCC) leva principalmente em conta a forma
como cada um age perante os acontecimentos
do dia a dia, para tentar entender e modificar
suas emoções e seu modo de agir. Desta forma, a
TCC dá uma grande ênfase aos pensamentos do
cliente e à forma como este interpreta o mundo,
sendo que seu objetivo é ajudá-lo a aprender
novas estratégias para atuar no ambiente de

forma a promover mudanças necessárias. Na
Fibromialgia, a TCC poderia auxiliar o paciente
a entender e interpretar melhor suas atitudes
frente à dor e demais sintomas da Fibromialgia
para enfrentá-los de forma mais eficaz. Em
Fibromialgia, os resultados são conflitantes, com
trabalhos demonstrando resultados variáveis
com melhora na dor, depressão e capacidade
funcional em curto prazo; outros somente se
associados à farmacoterapia, mas não mantém
os efeitos após um ano.

15. Por que os antiinflamatórios
ou outros remédios para dor
não me ajudam?

medicamentos

Os anti-inflamatórios e os analgésicos simples
são excelentes medicamentos para tratar as dores
associadas a dano tecidual. Como exemplo,
citamos a dor causada por uma contusão muscular.
Nesta situação temos um dano no tecido muscular
que origina a dor e o anti-inflamatório atuará
para tratá-la e sanar a inflamação muscular. Na
Fibromialgia não sabemos ainda a causa exata da
dor. Não identificamos nenhum dano tecidual. O
que ocorre é que nos pacientes com Fibromialgia
há uma sensibilidade maior à dor comparada a
pessoas sem Fibromialgia. Isso acontece porque
o cérebro das pessoas com Fibromialgia interpreta
exageradamente os estímulos nervosos. Os
analgésicos e anti-inflamatórios não são eficazes
na Fibromialgia, pois não conseguem regular o

cérebro para diminuir a sensação exagerada de

dor que é sentida pelos pacientes.

16. Por que somos tratados com medicamentos para
depressão e convulsão se não sofremos disso?

imagesrh

Como temos citado aqui, na Fibromialgia há
toda uma falta de regulação da dor por parte do
cérebro. Isto ocorre em parte por alterações dos ní-
veis de neurotransmissores no cérebro. Os neurotransmissores
são substâncias químicas produzidas
pelos neurônios, as células nervosas. Estas células
enviam informações a outras células por meio de
neurotransmissores. Existem neurotransmissores
que agem diminuindo a dor e outros que a intensificam.
Os antidepressivos e neuromoduladores
atuam aumentando a quantidade de neurotransmissores
que diminuem a dor, sendo por isso eficazes e
utilizados no tratamento da Fibromialgia.

Retirado PDF Cartilha para paciente com fibromialgia.

Dor de cabeça na Medicina Tradicional Chinesa.

Postado em

o-que-pode-causar-dor-de-cabeca-1
A dor de cabeça é um sintoma subjetivo. Este capítulo trata a cefaleia enquanto sintoma predominante e não como consequência de outras causas como hipertensão. No entanto, os pontos usados neste capítulo podem ser usados para o tratamento da dor de cabeça independentemente de ser o sintoma predominante ou não.

Diagnóstico da dor de cabeça na medicina chinesa

Invasão de Vento-Frio
dor de cabeça que agrava com vento e frio, dor estende-se até à nuca e ombros, preferência por aplicações de calor local, pode ser fixa, aversão ao vento, aversão ao frio, ausência de sudação e sede, dor generalizada, pulso suave, língua com capa branca e fina.
dor de cabeça na medicina chinesa
Invasão de Vento-Calor
Dor de cabeça tipo distensão na cabeça, pode ser severa, aversão ao vento, aversão ao calor, preferência por aplicações locais de frio, febre, boca e garganta secas, tosse seca, face vermelha, língua vermelha com capa amarela, pulso rápido e flutuante.

Invasão de Vento-Humidade
Cefaleia, sensação de peso, agravamento com tempos húmidos ou chuvosos ou na presença de vento, fezes moles, alterações de apetite, astenia física, cefaleia agrava após esforço físico, língua pálida com capa branca pegajosa, pulso suave ou deslizante.

Plenitude Calor do Fígado
Cefaleia(1) que agrava com calor e estados de irritabilidade ou raiva, melhora com aplicações de frio, vertigens, insónia, cefaleia predominante nas têmporas, irritabilidade ou propensão para ataques de raiva, face vermelha, olhos vermelhos, sabor amargo na boca, garganta seca, sede, obstipação, urina escura, pulso cheio, em corda, língua vermelha com capa amarela.

Vazio de Qi
Cefaleia tipo moínha, preferência por aplicações locais de calor, melhora com pressão, tonturas, vertigens, astenia, anorexia, cefaleia agrava após esforço físico, fezes moles, pulso fraco e língua pálida com capa fina e branca.

Vazio de Sangue Fígado
Cefaleia mais localizada na zona supra orbital, melhora com pressão, agrava durante e após o período menstrual, agrava após hemorragias (pode aparecer enquanto consequência), palidez, membros frios, astenia física e agitação psíquica, palpitações, visão nublada, outras alterações de visão associadas a crises de cefaleia ou vice-versa, amenorreia ou período escasso, provável ausência de coágulos e sangue pálido, língua pálida com bordo pálidos com capa branca e fina, pulso suave em corda.

Humidade-Mucosidade
dor de cabeça acompanhada de tonturas, sensação de peso na cabeça, opressão torácica e dilatação abdominal, anorexia, náuseas, sensação de peso no corpo, edema, língua pálida ou normal com capa pegajosa e branca, pulso deslizante.

Estase de Sangue
dor de cabeça fixa tipo facada, agrava antes do período menstrual, insónia, sangue menstrual com coágulos, presença de massas, língua púrpura com varicosidades sub linguais, pulso em corda.

Deficiência do Rim
Cefaleia, dor surda, melhora de manhã e agrava com trabalho, zumbidos, vertigens, astenia física, fraqueza dos membros inferiores, lombalgia, alterações urinárias, língua pode apresentar-se normal, pulso profundo e fraco.

Acupuntura para dor de cabeça na medicina chinesa

Seleção de pontos para dor de cabeça na medicina chinesa de acordo com áreas afetadas:

13

Cefaleia frontal: 14VB, 2B, 8E, 4IG
14VB, 2B e 8E são pontos locais e 4IG é ponto distal. A região frontal é uma região Yang Ming e daí usar-se a combinação 8E e 4IG. Os pontos locais devem ser direccionados para a região dolorosa.
Ainda poderíamos recorrer aos pontos: 44E, 20VB (em especial se zona supraorbital se encontrasse afectada), YinTang, 23VG.

Cefaleia temporal: 8VB, TaiYang, 41VB, 5TA
8VB e TaiYang são pontos locais. 5TA e 41VB são pontos distais. Como a região temporal pertence ao nível Shao Yang usamos os pontos de abertura dos meridianos maravilhosos Dai Mai e Yang Wei Mai. Isto também nos permite desenvolver uma combinação base de pontos do mesmo par de meridianos e mesmos meridianos, locais e distais: 41VB, 5TA e 8VB.
Outros pontos a usar: 8E (direccionado para a zona dolorosa – este ponto é o ponto de intersecção do Estômago com a Vesícula Biliar e daí poder ser usado para tratar cefaleia ao longo do meridiano da VB, sendo, no entanto, mais usado ou em cefaleia frontal ou temporal), 20VB. Outros pontos distais ao longo do meridiano do TA também podem ser usados.

Cefaleia occipital: 20VB, 19VG, 16VG, 62B, 3ID,
20VB, 19VG, 16VG são pontos locais e 62B e 3ID são pontos distais. Uma vez que esta região pertence ao nível Tai Yang recorremos à combinação de pontos 3ID e 62B que são, respectivamente, pontos de abertura dos meridianos maravilhosos Du Mai e Yang Qiao Mai. O ponto 10B dá-nos hipótese de fazer uma combinação do mesmo nível com pontos do mesmo meridiano locais e distais. Consoante a localização mais especifica ao longo de toda a zona occipital e afecção ou não da nuca podemos recorrer a uma miríade de pontos locais.
Outros pontos a usar para dor de cabeça na medicina chinesa: 60B e outros pontos do meridiano da bexiga ao longo da perna são aconselhados para tratar problemas desta área.

Cefaleia parietal: 20VG, Sishencong, 6MC, 3F
20VG e Sishencong são pontos locais e 6MC e 3F são pontos distais. A zona parietal (vértice da cabeça incluído) pertencem ao nível Tay Yin. Como os meridianos do MC e F não tem pontos locais na cabeça é impossível fazer combinação de pontos locais e distais do mesmo meridiano.
Outros pontos a usar para dor de cabeça na medicina chinesa: pontos como o 1R e 2R estão aconselhados para cefaleia nesta região assim como o 60B.

Seleção de pontos de acordo com os padrões clinicos:

Invasão de Vento-Frio: 4IG, 7P, 12B, 16VG, 14VG, 20VB
Não é necessário recorrer a este protocolo extenso (em adição aos pontos acima mencionados). Este é só um conjunto de pontos distais e locais muito bons para o padrão clínico apresentado. Outros pontos como 23VG também podem ser usados. Muitas vezes a selecção destes pontos é mais dependente dos sintomas que compõem o padrão do que do quadro geral em si mesmo.

Invasão de Vento-Calor: 4IG, 5TA, 7P, 16VG, 14VG, 20VB
Com pequenas diferenças os pontos usados para os padrões de Vento-frio são os mesmos usados para os padrões de Vento-Calor. Consoante os sintomas de calor se manifestem com maior ou menor violência poderá dar-se mais atenção a pontos específicos para eliminar calor como os 2º pontos Shu.

Invasão de Vento-Humidade: 4IG, 40E, 8E
O 4IG elimina Vento. 40E elimina Mucosidades e 8E é um ponto local para eliminar Humidade na cabeça. 9BP, 6BP seriam outros pontos para eliminar Humidade e 7P, 20VB para eliminar Vento por exemplo.

Plenitude Calor do Fígado: 2F, 43VB, 20VB
Esta é uma combinação simples para eliminar calor recorrendo aos 2º pontos Shu e um ponto local que acalma o Yang do Fígado.

Subida de Yang do Fígado: 3F, 20VB, 6BP, 3R, 8F
A diferença destas 2 combinações é a seguinte: na PC Fígado recorre-se a pontos para eliminar Calor e na Subida de Yang do Fígado pretende-se acalmar o Yang (eliminar Calor) e tonificar o Yin. 6BP, 3R, 8F é uma combinação base para tonificação do Yin do Fígado.

Vazio de Qi: 20B, 36E, 2BP
Esta é uma combinação muito simples para a tonificação do Qi do BP (Jing adquirido). Pontos como 6BP, 3BP, 12VC, 21B poderiam estar incluídos. Se quiséssemos também poderíamos adicionar os pontos 30E e 4BP.

Vazio de Qi e Sangue: 17B, 10BP, 36E, 12VC
17B e 10BP é uma combinação base para a tonificação do Sangue e 36E e 12VC é uma combinação para o Qi do BP. Uma vez que é através do Qi do BP que se forma o sangue é possível aparecer um quadro de Vazio de Qi que gera Vazio de Sangue. Nestes casos poderíamos ainda usar pontos de assentimento como 20B, 15B ou 18B consoante os órgãos mais envolvidos Para adicionar mais pontos para o Qi consultar o Vazio de Qi.

Vazio de Sangue do Fígado: 8F, 10BP, 36E
Esta combinação pode ser analisada em 2: 8F (ponto de tonificação do Fígado) e 10BP (ponto de tonificação do Sangue) para tonificar o Sangue do Fígado e 36E que tanto tonifica Sangue como Qi. Caso o Vazio de Sangue não estivesse associado a um Vazio de Qi mas sim a um Vazio de Yin poderíamos remover o ponto 36E e adicionar 6BP e 3R (uma combinação base para tonificar o Yin).

Humidade-Mucosidade: 9BP, 6BP, 40E
Esta é uma combinação base para eliminar Humidade (6BP e 9BP) e para Mucosidade (40E). Consoante os sintomas acompanhantes da cefaleia evidenciem um envolvimento do AS, AM ou AI poderemos recorrer aos pontos 17VC, 12VC e 6VC para cada aquecedor, assim como a outros pontos que actuem nos órgãos envolvidos.

Estase de Sangue: 17B, 10BP
Combinação base geral para mover o Sangue. Consoante variação sintomática outros pontos poderão ser adicionados.

Deficiência do Rim: 3R, 4VC, 4VG, 23B
Por deficiência do Rim entende-se um Vazio de Yin e Yang considerado por muito autores como Vazio de Qi. Daí recorrer-se à combinação 4VC e 3R. 4VC é ponto que tonifica directamente a energia Yuan e 3R é o ponto Fonte (Yuan) do Rim. O ponto 4VG tonifica o Yang e o ponto 23B fortalece o Rim.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Homem-dor-de-cabeca-hg

O reconhecimento do sintoma e da zona afectada é a base, e a parte mais importante no tratamento por acupunctura, de todo o tratamento. O reconhecimento do padrão clínico vem na sequência da nossa análise e é a partir desta análise que conseguimos seleccionar pontos para adicionar ao protocolo base. Qualquer princípio de tratamento deve tomar em consideração estes princípios.

Assim vamos supor que 3 pacientes apresentam cefaleia frontal. Neste caso seleccionaríamos os pontos: 14VB, 2B, 8E e 4IG independentemente do padrão clínico. No entanto, ao paciente A é diagnosticado um padrão de Vazio de Qi do Baço, ao segundo doente é diagnosticado um padrão de Humidade-Mucosidade e ao terceiro paciente um padrão de Vento-frio.

Os pontos a adicionar seriam, portanto:
Paciente A: 14VB, 2B, 8E, 4IG e 20B, 36E, 12VC por exemplo.
Paciente B: 14VB, 2B, 8E, 4IG e 9BP, 40E. O ponto 8E é um bom ponto para eliminar Humidade na cabeça mas já se encontra no protocolo base.
Paciente C: 14VB, 2B, 8E, 4IG e 7P, 23VG. O ponto 4IG usa-se em conjunto com o 7P (combinação de pontos Fonte-Conexão) mas o 4IG já se encontra no protocolo base (não vale de nada escreve-lo 2 vezes).

Se o paciente apresentar sintomas como rigidez na nuca ou outros sintomas que também afectem as vias respiratórias superiores, pontos como 16VG e 20VB também deveriam ser adicionados por exemplo.

BIBLIOGRAFIA

JUNYING, Geng; et ally; Selecionando os Pontos Certos de Acupunctura, Um Manual de Acupunctura; ed. ROCA, ISBN 85-7241-152-6; 1ª edição, São Paulo, 1996
YANFU, Zuo; et ally; Chinese Acupuncture and Moxibustion; Publishing House of Shangai University of Tradicional Chinese Medicine; ISBN 7-81010-667-8, 1ª edição, Shangai, 2002
YIN, Ganglin; ZHENGHUA, Liu; Advanced Modern Chinese Acupuncture Therapy; Ed. New World Press, ISBN 7-80005-558-2/R•046, 1ª edição, Beijing, 2000
ZHIXIAN, Long; et ally; Diagnostic of Tradicional Chinese Medicine; edited Beijing University of Tradicional Chinse Medicine, Academy Press, ISBN 7-5077-1271-0, 2ª edição, Beijing, 2002
ZHIXIAN, Long; et ally; Acupuncture & Moxibustion; edited by Beijing University of Traditional Chinese Medicine, Academy Press, ISBN 7-5077-1269-9, 1ª edição, Beijing, 1999

NOTAS DE FIM DE TEXTO

Doenças e disfunções que podem ser tratadas pela Acupuntura

Postado em

lea

1- Doenças, sintomas ou condições que foram comprovados, por ensaios clínicos, que a Acupuntura atua com grande eficácia.

Reações adversas à radioterapia e/ou quimioterapia

Rinite alérgica (incluindo a febre do feno)

Cólica biliar

Depressão (incluindo a neurose depressiva e depressão após acidente vascular cerebral)

Disenteria, aguda bacilar

Dismenorreia, principal

Epigastralgia, agudo (na úlcera péptica, gastrite aguda e crônica e cólicas)

Dor facial (incluindo nevralgia craniomandibular )

Dor de cabeça

Hipertensão, essencial

Hipotensão, principal

Indução do parto

Dor no joelho

Leucopenia

Dor lombar

Correção do posicionamento do feto

Náusea matinal

Náuseas e vômitos

Dor de garganta

Dor em Odontologia (incluindo dor dentária e disfunção têmporo-mandibular)

Bursite do ombro

Dor pós-operatória

Cólica renal

Artrite reumatóide

Dor ciática

Entorse

Acidente vascular cerebral

Cotovelo de tenista (epicondilite do cotovelo)