Taoismo

Chinês morre aos 256 anos de vida

Postado em

Quando ouvimos falar em um século de vida, logo pensamos é tempo demais. Imagine então dois séculos e meio. É difícil de acreditar, mas a história é verídica, Li Ching Yuen mestre taoísta chinês, viveu 256 anos de idade, uma via tranquila e lúcida.

velho1

Mestre Li Ching Yen

Li foi um herbalista e praticante de Chi Kung, nasceu em 1677 e só morreu 256 anos depois em 1933 por causa natural. É difícil de acreditar que alguém possa ter vivido tanto tempo. Porém há documentos que comprovam o fato.

Era praticante de técnicas espirituais, conhecidas por prolongar e melhorar a vida, sendo o único homem que se tem provas documentais de ter vivido tanto tempo. Não se tem registros de qualquer outra pessoa que tenha vivido mais de 2 séculos em toda humanidade.

Práticas espirituais

Taoismo

O taoísmo praticado pelo mestre é uma tradição chinesa que enfatiza uma vida harmônica com o Tao, ou seja, harmonia com a vida, com o caminho. Gostava de praticar o Chi Kung, exercícios que fazia para cultivar energias. Juntas essas práticas cultivadas por ele eram vitais para o corpo.

A vida longa do mestre Li foi atribuída principalmente por estas práticas espirituais, exercícios e seus estudos sobre alquimia e medicina tradicional chinesa. Ele também aprendeu a meditar, e passou aplicar filosofia e medicina em seu cotidiano, doutrinando assim mente e corpo. Usava plantas medicinais, não utilizava drogas, não bebia, adorava dormir e acordar cedo.

Desvendando o segredo da longevidade

Em 1933, ano de sua morte, a revista Time publica um artigo com o título: “Tartaruga – Pombo – Cão” sobre o mestre. Questionado sobre qual a chave para a longevidade, Li responde: “Manter o coração calmo, sentar como uma tartaruga, andar vigorosamente como um pombo, e dormir como um cão.”.

De acordo com o artigo publicado, o estudioso Wu Chung diretor do departamento de educação da Universidade de Chengtur, encontrou registros que relatavam a vida do mestre bicentenário. Wu Chung, contou no artigo que encontrou uma carta do Governo da China do ano de 1827 que parabenizava o mestre pelo seus 150 anos. De acordo com a revista Li se casou 23 vezes, sendo pai de 180 filhos.

liu-pai-lin

Mais dados sobre a vida do mestre Li, são encontrados no livro Ancient Secrets of Youth, de Peter Kelder, que traz mais informações sobre seu cotidiano, seus exercícios e cita o eremita mais velho que o mestre conheceu quando completou 130 anos, tal eremita é citado como grande responsável por mudanças na vida de Li, lhe ensinando práticas de Chi Kung.

Tais práticas eram exercícios de respiração, comidas naturais, movimentos com sons, ervas. Isto tudo servia para prolongar ainda mais a vida. Segundo registros o mestre atribuía sua longevidade a sua disciplina em fazer estas práticas todos os dias.

Sobre à alimentação, não se sabe ao certo se o bicentenário mestre era totalmente vegetariano, o que se sabe é que a carne vermelha ele não comia, os registros trazem que raízes, chás e plantas tinham destaque em sua alimentação, assim como leite e seus derivados o que mantiveram os ossos de Li muito fortes.

Esta foto foi tirada em 1927 por um membro do Exercito Chinês, na cidade de Wann Hsien.

Li_chingYuen1

O membro do exército ao relatar sobre o mestre diz: ”Sua visão era perfeita, sua pele firme, tinha sete pés de altura, unhas longas e compleição forte.”.

A Religião e o Homem

Postado em

As dez mais antigas e ainda hoje praticadas Religiões no Mundo

Taoísmotransferir1

A origem do Taoísmo ou pelo menos dos seus princípios fundamentais é atribuída aos ensinamentos do mestre chinês Lao Tse (velho mestre) um contemporâneo de Confúcio que viveu entre 604 e 517 a.C. . Sendo contemporâneo de Confúcio também Lao Tse viveu numa época de extrema tirania e violência a que se opunha ferozmente isto, levou-o aABANDONAR um cargo governativo que ocupava e a dirigir-se para a fronteira com o Tibete, rezam as lendas que quando se preparava para a atravessar a fronteira foi reconhecido por um amigo da guarda imperial que lhe disse que só o deixaria passar se Lao Tse escrevesse os seus ensinamentos num livro. Após três dias Lao Tse dirigiu-se ao amigo e entregou-lhe um livro a que chamou Tao te Ching (O caminho e princípios morais) no qual ensinava uma filosofia de vida ao povo. Após isto o guarda deixou passar Lao Tse que nunca mais voltaria à China.

Surgia assim o livro sagrado do posteriormente designado Taoísmo mas que nesta época apenas representava um livro com ensinamentos para a vida.

O Taoísmo religioso propriamente dito, apenas surgiu noDECORRER do século II a.C. com um discípulo de Lao Tse a desenvolver e proliferar os ensinamentos do mestre com inúmeras obras criadas ao longo da vida que deram transferir2verdadeiramenteINÍCIO à religião formando o Cânon do Taoísmo, esta religião passou então a ser conhecida como uma religião politeísta e anti-intelectual que leva o Homem a contemplar e aceitar as leis da Natureza sem tentar compreender o porquê de acontecerem, o como se manifestam, ou a forma de as evitar ou atenuar.

Pensa-se que estes ensinamentos de Lao Tse são em parte uma reacção contra o Confucionismo que prosperava naquela época e em que se ensinavam as pessoas a terem uma vida exemplar numa sociedade disciplinada onde se dedicassem aos ritos e suas tarefas específicas em oposição o Taoísmo ensinava que as pessoas deveriamEVITAR todo o tipo de obrigações e convívios sociais, levar uma vida simples e voltada para a Natureza se estes princípios se contradizem têm outros bastantes semelhantes sobretudo nos rituais e que serão demonstrados mais à frente.

Segundo os ensinamentos da religião o Tao é tido como o Deus criador e é considerado a única fonte do Universo sendo eterno e determinante de todas as coisas, consideram também que todo o Mundo é constituído pelos elementos opostos Yang (o bem, o masculino) e o Yin (o mal, o feminino) e que a harmonia só podeOCORRER quando há um equilíbrio entre estas duas forças no homem estando assim em comunhão com o Tao.

Entre as práticas religiosas do Taoísmo encontram-se:

transferir3O Culto aos ancestrais e outras divindades naturais (muitas destas divindades foram em vida pessoas que detiveram grandesPODERES e realizaram heróicos feitos); a estas divindades são oferecidos alimentos e orações em troca das suas bênçãos. Alguns exemplos das divindades mais veneradas são: Shou  Hsing (deus da longevidade), Lu Hsing (deus da riqueza) e Fu Hsing (deus da felicidade);

Os rituais de exorcismo onde os sacerdotes dirigem rituais públicos durante os quais eles submetem as orações do povo aos deuses e onde o sacerdote principal se encontra em transe e se dirige a outras divindades paraPEDIR bênçãos para o povo e tenta com dádivas expulsar os demónios da terra;

a alquimia onde os monges através de ervas,PLANTAS específicas e orações aos espíritos fabricam medicamentos para fins de cura de inúmeras doenças e expulsão de espíritos maus;

Por fim o último rito das crenças taoistas é o culto da magia onde se procura por meio de orações e interferências de espíritos a realização de fenómenos inexplicáveis entre eles o fenómeno da adivinhação.

Actualmente o Taoísmo está dividido em dois ramos o filosófico que se diz ateísta e leva o homem ao exercício dos taoismoinstintos e da imaginação e o ramo religioso que é politeísta, idolatra e exotérico (consulta os mortos), possui escrituras sagradas sacerdócio hereditário e templos e desde o século V d.C. que incorporou a crença no céu e no inferno e a veneração a Lao Tse.

Conta actualmente com mais de 3 mil monges e inúmeros templos sobretudo em Hong-Kong e tem mais de 20 milhões de adeptos em todo o Mundo.

Respostas rápidas sobre o Taoísmo

  1. Quem fundou esta religião?

Lao Tse (velho mestre), um contemporâneo de Confúcio que viveu entre 604 e 517 a.C.

 

  1. Qual o livro sagrado do Taoísmo?

TaoTE Ching (o caminho e os princípios morais) que começou por ser um livro que ensinava uma filosofia de vida.

 

  1. Quando surgiu propriamente dito o Taoísmo religioso?

Surgiu no século II a.C. através de um discípulo de Lao Tse que proliferou os ensinamentos do mestre com inúmeras obras ao longo da vida e que deram origem ao Cânon Taoista.

 

  1. O queDEFENDE o Taoísmo?

Que as pessoas se devem abster de todas as obrigações e convívios sociais eLEVAR uma vida simples voltada para a Natureza. Pensa-se que surgiu em oposição ao Confucionismo que defendia uma vida em favor da comunidade.

  1. Quais as principais virtudes defendidas por esta religião?

As Três jóias, compaixão moderação e humilhação. São ainda virtudes importantes a bondade, a delicadeza e a simplicidade.

  1. Que práticas religiosas possui o Taoísmo?

O culto ao Tao tido como o deus criador do Universo, o culto aos ancestrais e a inúmeras divindades naturais, os rituais de exorcismo e o culto da magia para a criação de medicamentos e para a prática da adivinhação.

Publicado por areligiao

LAO TSÉ E O TAO TE CHIN

Postado em

Baseado na compilação de José Laércio do Egito

Pouco se sabe com certeza sobre Lao Tsé. Há uma obra chinesa muito antiga chamada Shi Chi (Apontamentos Históricos) que diz que Lao Tsé, cujo nome real era Erh Dan Li, teria nascido no Sul da China, numa região chamada Ch’u, em torno do ano 604 a.C. Mas também há os que afirmam que o Tao Te Ching é apenas uma compilação de versos de vários pensadores de escolas de pensamento do 3º século a.C., que genericamente usavam o título de Lao Tsé.

Segundo as tradições, Lao Tsé foi contemporâneo de Kung Fu Tsé (Confúcio), de quem foi discípulo. Tornou-se o Taoismoguardião dos arquivos do Tribunal Imperial, e atraiu muitos seguidores com sua sabedoria, embora sempre haja se recusado a fixar suas idéias por escrito, por temer que as palavras pudessem ser convertidas em dogma formal. Lao Tsé desejava que a sua filosofia permanecesse apenas como um modo natural de vida estabelecido sob uma base de bondade, serenidade e respeito. Assim, ele não estabeleceu nenhum código rígido de comportamento, preferindo ensinar que a conduta de uma pessoa deve ser governada pelo instinto e pela consciência. Ensinava que nenhuma tarefa deveria ser apressada, que tudo deve acontecer no seu devido tempo. Acreditava que a simplicidade era a chave para a verdade e a liberdade, e assim encorajava seus seguidores para observarem mais a natureza do que aos ensinamentos de mestres.

Aos 80 anos, desiludido com as pessoas da sua terra – que estavam pouco dispostas a seguirem o caminho da bondade natural – se dirigiu para o Tibet, na fronteira ocidental de China, quando foi reconhecido por um guarda, que lhe lembrou que possivelmente todos os seus ensinamentos logo cairiam no esquecimento se alguma coisa não ficasse gravada, e só permitiu que ele deixasse a China após escrever seus ensinamentos básicos, para que pelo menos parte de seu conhecimento pudesse ser preservada para a posteridade. Atendendo ao pedido do guarda, de uma só vez Lao Tsé redigiu (reza a lenda que escreveu numa grande pedra) a coletânea dos 81 versos que se tornariam a síntese de sua sabedoria (e do pensamento Monista Chinês), que entrou para a história sob o nome de Tao Te Ching.

Há muitos sentidos para o significado do nome Tao Te Ching. Um deles o define como “As Leis da Virtude e seus taotechingcaminhos”. Suas palavras isoladas significam: Tao (Infinito, a Essência, a Consciência Invisível, o Insondável, o como, de como as coisas acontecem.); Te (que significa força, virtude, mas de uma forma não ligada aos nossos valores ocidentais); Ching (livro, escrito, manuscrito). Literalmente, portanto, significa “O livro de como as coisas funcionam”, e na realidade é este o seu objetivo, mostrar como as coisas no universo funcionam segundo o Tao. Também significa “O Livro que Revela Deus” e “O livro que leva à Divindade”. (mais sobre o termo)

Coerentemente com a sua maneira, Lao Tsé não o escreveu por princípios doutrinários, e sim aforismos (versos), de forma tal que pudessem ser adaptados por qualquer pessoa ante diversas situações. Algo aplicável a tudo e a todos; um texto de natureza aberta que não possibilitasse uma forma textual capaz de ser desvirtuado intencionalmente, ou simplesmente ser deformado pelas traduções; uma maneira de aplicação prática de se viver em harmonia, dentro do equilíbrio das polaridades da manifestação do Tao e simbolizada pelo Tei Gi (a figura abaixo, no centro):

yinyang
O Taoísmo baseia-se num dos Princípios Herméticos – o Principio da Polaridade – que diz ser a natureza bipolar, pois tudo nela tem um oposto. Na essência o universo conhecido é composto de componentes opostos; por vezes físicos (claro/escuro), morais (bom/ruim), biológicos (masculino/feminino) etc. Tudo no universo pode ser classificado em duas polaridades: Yang (pronuncia-se “yong”) ou Yin.

Uma indagação comumente feita diz respeito à diferença que existe entre o Taoísmo e o Confucionismo. O Taoísmo tem base metafísica e com aplicação prática. Confúcio foi mais um legislador, cujos ensinamentos ser direcionam mais para o aspecto político da vida.

Aquele que conhece o outro é sábio. Aquele que conhece a si mesmo é iluminado. Aquele que vence o outro é forte. Aquele que vence a si mesmo é poderoso. Aquele que conhece a alegria é rico. Aquele que conserva o seu caminho tem vontade.
Seja humilde, e permanecerás íntegro.
Curva-te, e permanecerás ereto.
Esvazia-te, e permanecerás repleto.
Gasta-te, e permanecerás novo.

O sábio não se exibe, e por isso brilha.
Ele não se faz notar, e por isso é notado.
Ele não se elogia, e por isso tem mérito.
E, porque não está competindo,
ninguém no mundo pode competir com ele.
(Lao Tsé – Tao Te Ching – verso 22)

Referência: Tao Te Ching traduzido para o português diretamente do Chinês;
Tao Te Ching original em Chinês, com a pronúncia em wav;
Taoism depot;
Lao Tsé e alguns versos comentados por Huberto Rohden;
Textos, artigos e sutras Zen budistas

Como antigos ensinamentos taoistas podem ajudar a manifestar perfeição e equilíbrio? Conheça Lao Tzu

Postado em

ensinamentos TAO

“No centro do seu Ser você tem a resposta,
você sabe quem é e sabe o que o que quer!”
Lao Tzu

Você conhece Lao Tzu?

Poucos conhecem o filósofo chinês Lao Tzu, também conhecido como Lao Tse ou Laozi, cujo significado literal é “velho mestre”.
Lao Tzu

Lao Tzu viveu no século 6 aC, na mesma época de Confúcio e é considerado o pai espiritual dos chineses.

Seus ensinamentos são seguidos na tradição taoísta, através do no único livro que Lao Tzu escreveu, cujo nome é “Tao te Ching”, comumente traduzido como “Livro do Caminho e da Virtude”.

O livro “Tao te Ching” baseia-se no Tao (Caminho), que é o Criador e sustentador de todas as coisas no Universo.

Todos os ensinamentos deste livro de Lao Tzu são instruções e orientações ao discípulo que opta por unir-se com o Tao.

Incrivelmente, os ensinamentos deixados por Lao Tzu há mais de dois mil e seiscentos anos são ainda uma conquista a ser feita por toda a Humanidade e podem ser usados como uma direção a todos os que desejam descobrir maneiras de manifestar o equilíbrio e a harmonia em sua vida pessoal.

O Universo é um organismo vivo, segundo o “Tao Te Ching”

No “Tao Te Ching“, aprendemos:

Tudo nasce do vazio indiferenciado, imensurável, insondável, que nunca pode ser exaurido.

O Tao se move em torno de si mesmo, sem parar.

Deste “Tao sem nome” (que não existe), nasce o que existe (e tem nome): o Caminho (Tao).

É com o aparecimento dos nomes, todas as coisas e o Um se transforma em muitos.

O universo é como um organismo vivo resultante da expansão vitalizada do Tao (a ordem natural, a providência).

O que é o Tao?

O Tao não tem personalidade.

O que vitaliza o Universo são dois princípios ou substâncias que, combinados, são o Tao: o yang (luz, calor, criativo, masculino), que existe especialmente concentrado no Céu – e o yin (sombra, frio, receptivo, feminino), que existe especialmente concentrado na Terra.

O Tao manifesta-se continuamente no fluxo e refluxo constante das forças yin-yang, sempre em harmonia e equilíbrio entre si, atuando em todas as coisas que existem e que foram criadas pela sua atividade.

Em outras palavras, Tao é a manifestação do equilíbrio entre Céu e Terra, entre Luz e sombra, entre masculino e feminino e etc.

Princípio da não-ação: conquiste da Perfeita Ordem Divina

A Virtude (Te) é a manifestação do Tao, através do chamado “agir não agindo”.

A não-ação proposta no Tao Te Ching nada mais é que “o seguir o fluxo” das forças combinadas do Universo, trazendo o movimento do Tao para sua própria vida sem interferir na harmonia e no Perfeito Equilíbrio do Tao.

Lao Tzu nos diz que o Equilíbrio, a Perfeição e a Harmonia são naturais e os mesmos devem se manifestar na vida de todos os Seres Humanos. Porém, para que isso aconteça, há que colocar-se em harmonia com os princípios do Tao e, através da não-ação, permitir que as forças do Universo atuem e expressem a beleza do Criador.

E este é o modo de caminhar que Lao Tzu sugere a todo discípulo: soltura e movimento, assim como também soltura no movimento, entregando-se à Perfeita Ordem das forças do Tao.

Em outras palavras, os ensinamentos do livro “Tao Te Ching” nos diz que tudo está sempre em Perfeita Ordem Divina e se você deixar os movimentos naturais do Tao acontecer, sem apegar-se a nenhum estado e sem direcionar com seu ego, você trará para sua vida os movimentos equilibrados do próprio Tao.

O Caminho do Tao é o caminho de volta ao estado de Graça e Harmonia com o Tao.

Dissolver o ego, sair do controle e aprender a confiar: siga o Tao

E nós não estamos acostumados a nos soltar ao fluxo natural do Universo, não é mesmo?

Somos munidos de um ego controlador que nos diz que temos que o tempo todo fazendo alguma coisa, em estado de alerta, sem ouvir a voz interna e sem perceber para onde nos levam os movimentos naturais do Universo.

Temos que aprender a confiar na positividade das Leis do Universo, nos conscientizando de que tudo de bom já está intrínseco em nós e no próprio Universo.

Como costumo dizer, tudo sempre está dentro da Perfeita Ordem Divina, mesmo que não pareçam estar!

Grandes são os nossos desafios, porém se conquistarmos a Virtude da entrega, estaremos fluindo em comunhão com o Tao!

Tania Resende